“Ao iniciarmos esta Quaresma em pleno Ano da Fé e em tempo de Missão Jubilar, por ocasião da celebração dos 75 anos da restauração da Diocese de Aveiro, quero convidar todos os diocesanos de Aveiro a sentirmo-nos amados por Deus, conscientes de que o nosso nome está inscrito no coração do Senhor, nosso Deus e nosso Pai.”
Foi desta forma que o Bispo, D. António Francisco dos Santos iniciou a Mensagem da Quaresma, a 13 de fevereiro. E é desta forma que queremos viver este tempo especial “de preparação” para a Páscoa.
Neste mês de março, a Missão Jubilar desafia-nos a criar um espaço para que cada um, durante o tempo que quiser e no momento que entender, tenha a oportunidade de fazer um tempo de deserto e assim experimentar o sabor e o valor do silêncio. Este espaço irá decorrer simultaneamente em todos os arciprestados no próximo fim de semana, entre o dia de sexta e sábado.
“O «Dia do Deserto» que proponho a toda a Diocese para vivermos em iniciativas arciprestais vai permitir-nos que, no silêncio e na interioridade, a verdade da nossa vida possa acontecer e tenhamos oportunidade para fazermos experiência da bondade de Deus que Jesus nos revelou. Implantemos neste «Dia do Deserto», no coração das nossas vilas e cidades, verdadeiros oásis de silêncio, de oração, de recolhimento, de reconciliação e de fraternidade.
A oração, a conversão interior e o retiro espiritual encontram, assim, mais tempo e diferente espaço para se tornarem acolhimento de Deus e experiência de fraternidade cristã e de verdadeira vivência comunitária.” (D. António Francisco dos Santos, na Mensagem da Quaresma.)
No Arciprestado de Anadia, o Tempo do Deserto decorrerá na Igreja Matriz de Arcos, no sábado, dia 9, entre as 14h30 e as 23h.
Com objetivo de envolver e unir todas as paróquias, foi proposto que cada uma dinamizasse um período de tempo e que, para o ofertório, levasse um símbolo. Entre as 22 e as 23h, a EAPJVA dinamizará a Oração Taizé. Neste espaço, estarão também disponíveis alguns sacerdotes para confissões entre as 15 e as 18h.
Fazemos o convite às catequeses e aos agrupamentos de escuteiros do arciprestado, para que possam estar presentes, levando assim, as nossas crianças e os nossos adolescentes a experimentar, também, o significado de silêncio.
“O tempo e o mundo que vivemos são agitados e apressados. Saborear a vida, os irmãos e o Bom Deus que Jesus Cristo nos deu a conhecer é algo cada vez menos presente nos “barulhos” do nosso dia a dia.” (Guião da Missão Jubilar).
Esta é a nossa oportunidade de fazer deserto, esta é a nossa hora. Vive esta hora!

Equipa de Coordenadores da Missão Jubilar do Arciprestado de Anadia