O Hospital da Misericórdia de Sangalhos, até maio, gerido pelos HPP (Hospitais Privados de Portugal) é agora gerido pela Idealmed, da qual é proprietário o conhecido empresário bairradino Carlos Dias, também dono das Colinas de São Lourenço e que na Suíça fez fortuna no mundo da relojoaria de luxo.
Manuel Gamboa, provedor da Misericórdia de Sangalhos, já respira de alívio, depois de ter ficado com “uma situação extremamente delicada” entre mãos.

HPP sai de Sangalhos. Após os HPP, com quem a Misericórdia tinha um protocolo por 30 anos, terem decidido pôr termo ao contrato, denunciando-o, Manuel Gamboa viu-se a braços com um delicado e complexo problema.
“O grupo decidiu desvincular-se de todos os pequenos hospitais, ficando apenas com as unidades nos grandes centros”, explicou, dizendo que a Misericórdia assumiu o Hospital, numa primeira fase, “mas sabendo que não temos vocação para o gerir, procurámos possíveis parceiros”. Surgiu a Idealmed.

Idealmed gere unidade hospitalar. “As negociações avançaram no bom sentido” e a mesa da Misericórdia optou por celebrar protocolo e contrato de arrendamento com a Idealmed, negócio concretizado a 31 de maio com efeitos retroativos a 16 de maio.
O provedor sublinha ainda que todos os compromissos para com os HPP foram salvaguardados: “o HPP fez um investimento enorme no Hospital. Esse compromisso era amortizado através de rendas mensais. Embora a dívida fosse ainda elevada, a Misericórdia foi desobrigada ao pagamento do montante em dívida”, o que considera ter sido um enorme ganho para a Misericórdia.
“A mesa da Misericórdia não deixa de agradecer e sublinhar a forma como as conversações decorreram com a administração dos HPP” que, segundo revela, deixaram para a Misericórdia o Hospital tal como se encontra, com todos os equipamentos.

Negociações bem sucedidas. Mesmo assim, a Misericórdia ficou responsável pelos sete funcionários daquela unidade de saúde. “Conseguimos fazer um acordo com a Idealmed que assumiu a responsabilidade por esses sete funcionários, nas mesmas condições contratuais em que se encontravam”.
“As nossas duas grandes preocupações foram conseguir manter os postos de trabalho e manter o Hospital aberto durante todo o processo”, diz o provedor.
Embora tenha circulado em Sangalhos que esta unidade hospitalar teria encerrado, a verdade é que isso não aconteceu: “os serviços mínimos neste processo de passagem foram sempre assegurados, incluindo o internamento”, destacou.
A mesa da Misericórdia conseguiu ainda, com este novo parceiro, um desconto de 10% para os irmãos, utentes e funcionários da Misericórida nos serviços prestados por esta unidade hospitalar. Por outro lado, Manuel Gamboa admite que na questão da renda mensal foi igualmente melhorada em relação à existente, tendo o protocolo sido assinado por um período de 10 anos.

Melhorias para breve, a vários níveis. Certas parecem ser também algumas melhorias que a Idealmed pretende efetuar em Sangalhos, ao nível das infraestruturas: bloco operatório e receção. A indicação é dada pelo Provedor Manuel Gamboa que refere ser intenção do grupo triplicar a faturação e alargar a oferta de serviços à comunidade.
Os acordos com as seguradoras estão a ser retomados e os preços dos serviços prestados poderão ser revistos, a favor dos utentes, adiantou ainda.

Quem é quem. A Idealmed presta cuidados de saúde, em serviços de medicina preventiva, terapêutica e de diagnóstico.
A 16 de maio de 2012 inaugurou a maior unidade de saúde privada da região Centro – 35.000m2 – construído de raiz obedecendo aos mais elevados padrões de qualidade e eficiência energética. Localizada em Coimbra, resulta de um investimento de 35 milhões de euros, com 30 valências clínicas e 500 profissionais de saúde.
“Cuidar quem nos escolhe com total dedicação e profissionalismo, promovendo a prestação diferenciada de serviços de saúde, com base no conhecimento, na tecnologia e no respeito pela vida humana, garantindo o acesso das populações às mais evoluídas soluções terapêuticas e clínicas” é a missão da Idealmed.
Refira-se ainda que a Idealmed é a sub-holding do Grupo IdealTower para a saúde, nela agregando todos os investimentos efetuados no setor.
Fundado em 2009, o Grupo Ideal Tower tem vindo a crescer a um ritmo acelerado mas consistente, contando hoje com um universo de 20 empresas.

Catarina Cerca