Ainda não há escola nova, mas o mobiliário já está a caminho. Parece anedota, mas não é.
A Parque Escolar já terá contactado a direção da Escola Secundária de Anadia (ESA) no sentido de efetuar a entrega de uma parte do mobiliário destinado à nova Escola Básica e Secundária de Anadia, cuja construção foi interrompida em 2011.
O caso, um tanto insólito, acontece porque, alegadamente, aquando da interrupção da obra (orçada em 16 milhões de euros), por indicações da Tutela, os concursos para aquisição de material não terão sido suspensos, encontrando-se agora, pronta para ser entregue, uma parte do equipamento.
De acordo com a direção da ESA, “esta situação acontece porque os concursos relativos às aquisições de equipamento não pararam”, colocando agora um grave problema à escola. Onde e em que condições armazenar equipamento novinho em folha, quando é de todos sabido que a ESA se encontra em avançado estado de degradação, apresentando graves problemas de humidade e infiltrações.
Segundo apurámos, a Parque Escolar preparava-se para entregar à ESA cerca de 80 armários e 200 mesas que se destinam a apetrechar a nova escola que ainda não foi concluída.
A direção da ESA terá já feito sentir à Parque Escolar não ter condições para receber o material: “é claro que criámos alguma resistência. A escola não tem capacidade física para guardar este equipamento”, referiu a JB um dos elementos da direção da ESA.
Segundo fonte do JB, a Parque Escolar sugeriu à direção da ESA que aproveitasse a ocasião para substituir algum equipamento mais degradado por este, novo, o que não foi bem visto pela direção da escola.
Daí que tenha sido solicitado à Parque Escolar o estudo de alternativas, face à posição assumida pela direção daquela Secundária.
Associação de Pais incrédula. Ana Paula Gama, da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas de Anadia (APAE) mostra-se chocada com a informação. “A escola não tem condições físicas para receber este mobiliário novo que se destina a um equipamento escolar cuja construção foi interrompida”, diz, alertando para o facto de, há já dois anos, a ESA ter estado a braços com uma situação também invulgar, ao receber dezenas de computadores que se mantêm embalados, até hoje, pois também se destinam à nova escola. “A maioria está embalada e, com a demora na conclusão da obra, quando forem disponibilizados aos alunos, já estão obsoletos”, acrescenta.
Os pais e encarregados de educação da ESA defendem que “a escola não tem que receber nada, nem deve” e que tal equipamento só deve ser colocado quando a nova escola estiver pronta.
Recorde-se que no passado dia 13 de novembro, a Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas de Anadia (APAE) e alunos, deram corpo a uma manifestação que pretendeu alertar para o avançado estado de degradação em que se encontram os edifícios da Escola Secundária de Anadia.
Não nos foi possível, em tempo útil, ouvir a Parque Escolar. Esperamos poder fazê-lo na próxima edição.

Catarina Cerca