No próximo sábado, dia 23, vai ser realizada uma iniciativa inédita e sem precedentes no concelho de Anadia. A partir das 7h30, o Parque das Termas da Curia, a precisar urgentemente de uma intervenção, vai ser alvo de um trabalho de limpeza de caráter solidário. Para levar a cabo esta ação, a Câmara Municipal de Anadia lança um apelo à colaboração da população.

Apelo à colaboração da população. A operação vai estar a cargo de várias entidades, amigas do Parque: Câmara Municipal de Anadia; União das Freguesias de Tamengos, Aguim e Óis do Bairro; União das Freguesias de Arcos e Mogofores; Junta de Freguesia de S.Lourenço do Bairro, assim como dos Agrupamentos de Escuteiros de Anadia, S.Lourenço do Bairro, FNA (Fraternidade Nuno Álvares-Anadia) e Bombeiros Voluntários de Anadia. A esta primeira linha de ação deverão juntar-se todas as outras Juntas de Freguesia, Agrupamentos de Escuteiros, associações locais e população em geral, numa iniciativa que vai ser liderada pela própria edil Teresa Cardoso, que convida vereadores e deputados da assembleia municipal a participar também. “Estão todos convidados a participar nesta ação solidária de limpeza e de manutenção”, apela a edil, deixando a indicação de que a autarquia vai também disponibilizar vários recursos, apelando à colaboração e solidariedade de todos, sem exceção.

Situação de emergência. A iniciativa surge na sequência de um pedido de apoio que os atuais gestores das Termas da Curia dirigiram à Câmara Municipal de Anadia. O pedido, analisado pelo executivo em reunião de câmara, acabou por ter luz verde para avançar. É que embora se trate de um espaço privado, foi reconhecido que este tem estado de portas abertas aos visitantes e acolhido diversos eventos promovidos pela autarquia. A unanimidade quanto ao interesse público de que se reveste esta ação, e porque se trata de uma intervenção com caráter pontual, levou o executivo a apoiar os trabalhos de limpeza do Parque das Termas. Vai, assim, disponibilizar o apoio técnico e recursos materiais e humanos, no âmbito de uma ação concertada, quer com a entidade gestora quer com outras instituições do concelho e população.

Mãos à obra. No sábado, as equipas de trabalho vão estar no terreno desde manhã cedo, e esperam poder contar com o auxílio da população. Daí o apelo ao espírito de entreajuda e solidário de todos os voluntários disponíveis para ajudar. Todos devem dirigir-se ao parque, a partir das 7h30, onde os coordenadores dos grupos de trabalho irão explicar e distribuir as tarefas. Estas serão simples, mas da máxima importância, incidindo principalmente na remoção de folhas e de ramos, e na desobstrução de caminhos. Se possível, os voluntários deverão munir-se de luvas, baldes, chapéu e óculos de proteção.
Esta ação vem na sequência de outra, da responsabilidade da Câmara Municipal de Anadia, que decorrerá sexta-feira e que visa a realização de trabalhos mais complexos, de remoção de árvores tombadas, e de troncos ou de outros materiais de maior porte, que impliquem o recurso a máquinas e a ferramentas de corte.
Teresa Cardoso recorda que o parque é visto pela população como se fosse público, ou seja, “todos os anadienses cresceram a visitar e passar agradáveis momentos naquele parque, como se fosse um espaço público, que agora precisa da ajuda de todos.” No fundo, “o parque é um bocadinho de cada um de nós e todos devemos colaborar, dentro do possível, nesta ação”, avança.
A importância destas intervenções prende-se com o momento delicado que a Sociedade das Águas da Curia atravessa (processo de insolvência), e pelo facto do seu património estar nas mãos de uma entidade gestora, que procura agora dar uma nova vida ao parque e edifícios termais.
Ex-libris da estância, o Parque da Curia ganhou fama no início do século XX por se tratar do maior lago artificial da Europa. Repleto de árvores frondosas e de vegetação diversa, o parque é, há mais de um século, um espaço de lazer procurado por diversas gerações de bairradinos, de aquistas ou de simples visitantes e turistas.
Catarina Cerca