A 27.ª Edição da EXPOFACIC chegou ao fim reforçando a consolidação da maior feira da região e com os olhos postos no futuro do certame. Xutos e Pontapés e o fogo-de-artifício encerram 11 dias de festa da melhor maneira.
Não passou despercebida a Noite Branca, realizada no sábado, e a ação de solidariedade a favor dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede que foi um êxito. O valor total da receita ainda está a ser apurado, mas a organização considera que o objetivo foi largamente alcançado, com a adesão e ajuda de todos: visitantes, patrocinadores e expositores.
Na última segunda-feira, autarquia e comissão organizadora em jeito de pré-balanço, revelaram que esta terá sido “uma das edições mais bem conseguidas de sempre”.
Na ocasião, João Moura, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, salienta o crescimento do “processo de afirmação e consolidação do certame” no contexto nacional. “Está provado que a EXPOFACIC já ganhou asas para voar e que importa pensar no futuro, requalificar o espaço que recebe a feira e reforçar a estratégia de afirmação no contexto nacional e internacional”, sublinhou.
Para o autarca “a feira, este ano, superou-se, mais uma vez, a ela própria”, com uma afluência muito grande de público em praticamente todos os dias, não deixando de destacar que o certame continua a exercer a sua atratividade, mesmo no dia mais caro “com milhares de pessoas a virem de fora e pela primeira vez.” Aos jornalistas, o edil de Cantanhede, defendeu ser necessário apostar em artistas estrangeiros “para captar novos públicos”, mas também na “consolidação da feira, no patamar onde já se encontra”, garantindo um certame de maior qualidade às pessoas que o visitam. “O desafio que se projeta em termos de futuro é o de olharmos em frente para a internacionalização, promovendo o concelho, a região e o país”, acrescentou.
Já Patrocínio Alves, presidente do Conselho de Administração da INOVA, empresa responsável pela organização da EXPOFACIC, fez também um balanço extremamente positivo desta 27.ª edição: “O primeiro dia superou o número de visitantes do primeiro dia em 2016, não se notando quebras na afluência nos seguintes dias da semana”, afirmou, assegurando que a afluência do público à EXPOFACIC “está perfeitamente consolidada”.
“A EXPOFACIC tornou-se a principal festa nacional, um destino obrigatório em época de férias para muitos dos nossos visitantes que, ano após ano, repetem a sua presença”, garantiu.
Este responsável aproveitou ainda o jantar de encerramento do certame que juntou organização, colaboradores, patrocinadores e comunicação social, nas instalações dos bombeiros de Cantanhede, para elencar algumas melhorias a introduzir em próximas edições. Assim, defendeu que a aposta na internacionalização da Expofacic deve continuar: “devemos continuar a apostar na nossa presença no estrangeiro com um stand de maior dimensão e impacto, nomeadamente na FITUR (em Espanha).” Por isso, defendeu que os patrocinadores se devem associar à EXPOFACIC nesta tarefa e também estar presentes: “será uma parceria ou associação com benefícios para todos”, assim como reconheceu que, aquando da presença na FITUR, o(s) artista(s) estrangeiro(s) já devem ser conhecidos “para dar uma  outra dimensão à presença do stand nessa mostra.” E porque as grandes marcas e firmas internacionais só estão presentes neste tipo de certames em espaços cobertos, com condições para expor os seus produtos, deixou um apelo ao executivo camarário: “pensem seriamente em ter, no futuro, um espaço com uma dimensão adequada para poder albergar esse tipo de expositores”, referindo-se ainda à necessidade de avançar com a reformulação da zona das tasquinhas, assim como em continuar a apostar em exposições temáticas: “é preciso marcar a diferença e as exposições permitem marcar essa diferença em relação a outros certames”, defendeu.
Patrocínio Alves registou ainda a satisfação dos expositores presentes, quer pelo número de contactos efetuados com potenciais clientes, quer pelo volume de negócios realizados, realçando também a satisfação dos artistas que integraram o cartaz de espetáculos, dando como exemplo as declarações da artista Mariza, que considerou o concerto em Cantanhede “um dos seus melhores espetáculos de sempre”.