Os cuidados paliativos no domicílio existem em Anadia há um ano mas ainda existem muitas famílias que desconhecem este serviço da UCC (Unidade de Cuidados na Comunidade) de Anadia. Quem o admite é a enfermeira Silvana Marques, coordenadora da UCC Anadia, que faz um balanço muito positivo do trabalho que esta equipa realiza no terreno, sete dias por semana (8h-20h/semana) e aos finais de semana (9h-13h).
“Os cuidados paliativos domiciliários são uma  resposta de cuidados de saúde dada às pessoas para resolução de problemas decorrentes da doença prolongada, incurável e/ou progressiva, na tentativa de prevenir o sofrimento que ela gera e de proporcionar a máxima qualidade de vida possível a estes doentes e suas famílias”, explica, frisando que se trata de cuidados prestados no domicílio da pessoa em estreita ligação com a família.
“Muitas vezes este tipo de cuidados é confundido com os cuidados de fim de vida ou cuidados à doença terminal; e quando assim é pouco conseguimos fazer, a preparação do doente e família na realidade torna-se mais difícil. É importante que os doentes sejam referenciados até nós no tempo certo, para evitar o sofrimento, aliviar sintomas da doença e preparar a família.”

Famílias desconhecem serviço. E é aqui reside o maior problema, já que muitas famílias desconhecem a existência desta equipa e serviço: “apesar da pertinência da resposta advogada pelos cuidados paliativos, hoje, este tipo de cuidados não está ainda suficientemente divulgado e acessível àqueles que deles carecem.”
Silvana Marques revela ainda que no último ano  chegaram a este serviço doentes encaminhados por quatro formas (através da Rede de Cuidados Continuados Integrados, referenciados pela equipa intra-hospitalar de cuidados paliativos do Centro Hospitalar de Coimbra, através do Médico de Família e através das próprias famílias).

 

Ler mais na edição impressa ou digital