Esta é, sem dúvida, uma notícia triste para o desporto bairradino, mais ainda para um clube com mais de 100 anos de história. Pela falta de tempo (o clube tinha de ser inscrito até dia 15 de julho na Federação Portuguesa de Futebol) e numa fase de impasse diretivo – nova (a terceira) assembleia geral apenas dia 28 deste mês -, era mais ou menos expectável o cenário traçado. Por falta de quem elaborasse uma comissão de gestão, ou avançasse para a composição de uma direção, a União Recreativa Ferreirense desistiu de participar na Liga Allianz de Futebol Feminino na próxima época, entrando para o seu lugar o Atlético Ouriense. Depois de duas épocas excelentes, que culminaram com a permanência na elite do futebol feminino nacional, o Ferreirense volta assim à estaca zero por falta de meios humanos que dessem continuidade ao trabalho desenvolvido por Manuel Ferreira, não só nos últimos dois anos em que foi presidente, como também nos 12 anos em que exerceu as funções de diretor desportivo. Recorde-se que o clube já sofreu, no passado, uma longa paragem, de 7 anos, de 1996 a 2003.