De forma inesperada, horas depois da derrota em casa com o Avanca, Amorim Nunes, numa decisão, ponderada e amadurecida, no sossego do travesseiro, decidiu colocar um ponto final na sua ligação como treinador do OBSC. O clube até nem está mal classificado. Cumpridas 12.ª jornadas na Divisão de Elite, ocupa o 9.º lugar com 19 pontos, longe dos lugares de despromoção.
Ao final da tarde de segunda-feira, a direção liderada por Aníbal Santos, tentou demover Amorim Nunes da sua decisão, mas este não voltou atrás.
Entretanto, Amorim Nunes enviou uma nota para a nossa redação, que publicamos na íntegra: “Depois da derrota de domingo e de três jogos consecutivos sem vencer, achei por bem monitorizar de forma fria, lúcida e desapaixonada o percurso feito até aqui. Garantir a manutenção foi o objetivo definido no início da época. Neste momento, o OBSC está numa posição tranquila e confortável na primeira metade da tabela classificativa, sendo que, os resultados alcançados neste primeiro terço do campeonato, permitem concluir que já terão sido conquistados mais de metade dos pontos necessários para a manutenção ficar garantida.  Pese isso, as exibições nos últimos jogos não foram as melhores. Os níveis de confiança e tranquilidade foram naturalmente afetados e, como entendo que qualquer instituição deve estar sempre acima do interesse pessoal, e que o grupo de trabalho poderá ficar a ganhar com a introdução de novas ideias e novas dinâmicas, achei por bem deixar de ser o treinador do OBSC. Isso transmiti ao nosso presidente na manhã da passada segunda-feira. Agradeço o carinho e o respeito que os simpatizantes e associados sempre me dispensaram. Aos jogadores, aos meus colegas da equipa técnica, à direção, na pessoa do seu presidente, um obrigado a todos.”