O novo presidente da direção do Centro Social de Nossa Senhora do Ó de Aguim tem 55 anos, é casado e reside em Alpalhão. João Pires sucede a Agostinho Luís Ferreira, um dos grandes mentores e impulsionadores desta instituição, à qual presidiu por  três décadas.
As eleições para os novos órgãos sociais tiveram lugar a 28 de dezembro de 2018 e, agora, entre 2019 e 2022, João Pires vai comandar os destinos desta casa.
A sua candidatura, como revelou a JB, surgiu de um desafio feito pela direção cessante. Sócio da instituição há vários anos, conhecia a sua forma de trabalhar, destacando-se também a sua experiência na área, uma vez que foi presidente, durante nove anos, de uma outra IPSS, na Mealhada.
“Vim encontrar uma casa organizada mas, como todas as outras, com problemas para resolver”, avançou, dando nota de que o edifício principal e mais antigo,  precisa de manutenção, bem como as sucessivas ampliações exigem uma atenção constante. Por outro lado, destaca que esta instituição é, hoje, uma das grandes empregadoras da freguesia, com  78 colaboradores e 236 utentes: (Lar – 37 idosos; Centro de Dia – 37 idosos; Apoio Domiciliário – 40 utentes; Creche – 45 bebés; Pré-escolar – 41 crianças e ATL – 36 crianças). Números já elevados para uma organização que continua a primar pela qualidade dos serviços prestados. Por isso, destaca a falta de vagas, sobretudo na valência de Lar, onde estão inscritas e aguardam por vaga mais de uma centena de pessoas.

 

(Ler mais na edição impressa ou digital)

 

Ex-presidente, Agostinho Luís Ferreira alvo de sentida homenagem

O dia da tomada de posse da nova direção ficou também marcado pela homenagem, ao presidente cessante, Agostinho Luís Ferreira.
Foi no passado dia 11 de janeiro que Agostinho Luís Ferreira foi alvo de um jantar surpresa, com cerca de 70 participantes, entre dirigentes e ex dirigentes e colaboradores daquela IPSS.
Aliás, o seu nome é indissociável do da própria instituição, a qual ajudou a nascer e a crescer.
Ligado ao Centro Social há quase quatro décadas, a sua saída a todos tocou profundamente, já que dirigiu esta casa durante 30 anos (1981-1995 e de 2002 a 2018).
Durante o jantar, todos assistiram à passagem de um filme, recordando momentos vários dos seus mandatos e foram muitos os momentos em que a emoção tomou conta das intervenções, nomeadamente da que fora proferida por Helena Castro, diretora-técnica do Centro Social.
A JB Agostinho Ferreira confessou que sai com “sentimento de dever cumprido” e com “enorme honra por ter servido e ajudado o Centro Social a crescer e a inovar”, concluindo que “foram anos de muito trabalho, dedicação e amor à causa da solidariedade social”.
Agostinho Ferreira deixa os cargos sociais mas diz manter-se sempre disponível para colaborar dentro da sua disponibilidade.
Recorde-se ainda que, no final do jantar, ao homenageado foi oferecida uma lembrança por parte das colaboradoras da casa.