O Município de Oliveira do Bairro – assim como o vizinho de Águeda – faz parte do lote de 46 municípios do país que decidiram aplicar uma taxa agravada do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) aos prédios que se encontram devolutos há mais de um ano ou em ruínas, diz fonte do Ministério das Finanças, citada pela Agência Lusa.

O IMI, que começou a ser cobrado este mês, resulta da indicação anual das autarquias junto da Autoridade Tributária e Aduaneira sobre qual a taxa do IMI que querem ver aplicada aos proprietários de imóveis do seu concelho, indicando, igualmente, se pretendem socorrer-se da regra que permite triplicar aquele imposto nos casos concretos de prédios urbanos devolutos e/ou em ruínas.

A Oliveira do Bairro e a Águeda juntam-se, entre outros, Coimbra, Leiria e Tondela, que decidiram fazer uso da aplicação desta taxa agravada.

Leia mais na edição de 2 de maio do Jornal da Bairrada