A Capela de Vale da Mó carece de obras de reabilitação urgentes. Uma situação que está a ser acautelada pela Comissão da Fábrica da Igreja da Moita, que deseja avançar com obras em 2020.
Hoje, quem por ali passa não fica indiferente ao templo, nem ao seu estado de degradação, já que toda a estrutura acusa o peso da idade e a falta de manutenção.
Moradores, autarquia e até turistas reconhecem que o estado de deterioração é grande, temendo o pior com o aproximar do inverno.

Problemas vários
Ao JB o pároco, padre Victor Espadilha, revela que as obras estão previstas para 2020 e que serão postas em marcha assim que o projeto da Junqueira (Casa de Maria) esteja terminado.
Ciente da importância das obras, avança que o processo começa agora a dar os primeiros passos, estando numa fase de anteprojeto, já que as obras a realizar terão de ser analisadas e autorizadas pela Comissão de Arte Sacra da Diocese de Aveiro.
Obras que poderão ascender a várias dezenas de milhares de euros e que o pároco gostaria de ver apoiadas não só pela Comissão Fabriqueira, mas também pela Câmara Municipal de Anadia e Junta de Freguesia, dada a importância daquele património.
Contudo, garante que ali já foram realizadas algumas obras de beneficiação, nomeadamente na zona da sacristia.
 
Ler mais na edição impressa ou digital