Foi à volta de um magnífico cozido à transmontana, confecionado pelo chef Paulo Queiroz, do Restaurante Cordel Maneirista (Coimbra) que as Caves Solar de São Domingos deram início a uma iniciativa inédita que se vai prolongar pelos próximos meses.
A empresa reuniu em jantar, o primeiro de vários, no passado dia 4 de fevereiro, responsáveis de algumas dezenas de restaurantes da região – entre Aveiro e Coimbra – numa clara operação de charme que serviu para revelar alguns projetos que a empresa vai desenvolver durante este ano e também dar a conhecer dois novos vinhos tintos, um já no mercado e o outro prestes a ser lançado – São Domingos Reserva 2015 Bairrada DOC e o São Domingos Reserva 2016 Regional Beira-Atlântico.
Com 83 anos de vida, esta empresa de referência na região aposta agora em 2020 num leque de ações diversas, entre as quais jantares temáticos, como este, marcados para as primeiras terças-feiras de cada mês, para apresentação de novos vinhos e/ou novas colheitas, mas sempre servido por restaurantes diferentes.
 
Restauração
 – o parceiro primordial
A primeira ação foi direcionada para um parceiro muito especial – a restauração. “Fazia todo o sentido começar pela restauração pois é primordial para a região e é onde se consome mais vinhos Bairrada. Um parceiro importante, pois como costumo dizer, são aqueles que nos tiram as rolhas às garrafas”, sublinha Alexandrino Amorim, responsável pelo marketing e comunicação da São Domingos, não deixando de salientar que, “embora sejam parceiros e clientes há vários anos, muitos não conhecem caves e adegas dos produtores com quem trabalham”, tendo esta sido também uma oportunidade para dar a conhecer não só os dois novos vinhos tintos, de novas colheitas, mas também a empresa e as suas caves onde estagiam todos os seus néctares.
É com estas ações que a empresa quer “fortalecer laços de amizade e parcerias”, por isso, a administração mostrou-se rendida à enorme adesão à iniciativa que pretende ainda envolver toda a restauração entre Coimbra e Aveiro na promoção dos vinhos da Bairrada. “Queremos que o setor da restauração perceba que está dentro desta região fantástica que é a Bairrada” e que “olhe para a Bairrada de outra forma, colocando os vinhos da região em força nas suas cartas de vinhos”, frisou Alexandrino Amorim.
 
Ler mais na edição impressa ou digital