O lar da SOLSIL, no Silveiro,Oliveira do Bairro, entrou esta segunda-feira, dia 30 de março, em isolamento total preventivo por causa da pandemia de COVID-19 e da declaração nacional de estado de emergência.

Na sequência do aumento do número de infetados pelo COVID-19 e porque um dos grupos de maior risco são pessoas com mais de 70 anos, a direção da SOLSIl decidiu, em diálogo com a diretora técnica e as responsáveis pelos setores da Terceira Idade, Infância, Casa de Acolhimento Residencial (CAR), Saúde e Aprovisionamento/Qualidade instituir o regime de isolamento total preventivo.

“Esta decisão assume-se como medida de prevenção e mitigação atendendo a que até ao momento não se regista nenhum caso sequer suspeito entre utentes, membros dos órgãos sociais e das equipas técnicas ou outros colaboradores da instituição”, diz a IPSS, apontando que este isolamento total do lar implicou a reorganização dos recursos humanos disponíveis por forma a constituir 2 ou mais equipas multidisciplinares de 8 a 10 elementos, as quais entram ao serviço por 15 dias seguidos, 24 horas por dia, durante os quais não se ausentam da instituição. Passados os 15 dias, entra ao serviço outra equipa que funciona nos mesmos termos.

De acordo com esta decisão, semelhante a outras IPSS do concelho e da região, as equipas que estão a aguardar em casa mantêm um regime estrito de quarentena por forma a manterem níveis altos de saúde e segurança para quando entram novamente ao serviço. “Esta missão das colaboradoras é acompanhada de muito perto por uma vasta equipa de suporte (direção e demais corpos sociais, direção técnica e todos os demais colaboradores dos serviços implicados nesta resposta), diz a mesma nota da SOLSIL, concluindo que esta equipa de retaguarda “tudo faz e fará para que nada falte às equipas de primeira linha, desde materiais de proteção individual a conforto e alimentação, apoio psicológico ou o que mais seja solicitado neste âmbito”.