Interrompidas durante o estado de emergência, as convocatórias  para o rastreio do cancro da mama foram retomadas em junho, utilizando o telefone e não a habitual carta, contrariamente ao referido no alerta emitido ontem, 30 de julho, pela Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), sobre falsos telefonemas. Logo que a avaliação epidemiológica face à Covid-19 o permita, serão retomadas as convocatórias por carta-convite, com contacto telefónico em paralelo.

Devido à pandemia, o processo de convocatória para o rastreio do cancro da mama, da responsabilidade da ARSC e do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRC.LPCC), é agora realizado provisoriamente e em articulação entre as duas entidades, via telefone e enquanto as circunstâncias da pandemia o aconselharem.

Assim, com vista ao esclarecimento da população, de forma a poder distinguir o telefonema do NRC-LPCC, informa-se que o teor do telefonema apenas dá indicações sobre procedimentos ligados ao protocolo de segurança da COVID-19 e transmite à interlocutora/utente a data, hora e local da realização da mamografia.

Ontem, dia 30 de julho, a ARSC emitiu um alerta à população sobre falsos telefonemas feitos por indivíduos do sexo feminino, que se apresentavam como responsáveis pelo rastreio do cancro da mama da ARSC, e que pediam informações sobre pormenores de roupa interior e fotos. Nesse alerta, a ARSC referia que a convocatória para o rastreio não se processava telefonicamente, o que, efetivamente, não corresponde à realidade, e que qualquer contacto com os contornos descritos deveria ser denunciado junto das autoridades.

A ARSC aconselha as pessoas para, em caso de dúvida sobre a proveniência do telefonema, entrarem em contacto com o Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro através do número de telefone 239 487 495 ou 6 (dias úteis, das 9h às 13h e das 14 às 17h) ou o Gabinete do Cidadão da ARSC pelo telefone 239 796 800 (dias úteis das 9h00 às 13h00 e das 14h30 às 17h30).