Está decidido: o município de Vagos vai alienar alguns dos lotes que possui na Gafanha da Boa Hora, mais propriamente na antiga zona florestal, entre a igreja e a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural (EPADR). Depois de ter sido apresentada, em sede da assembleia municipal, a 9 de junho, a proposta seria retirada da ordem de trabalhos, em requerimento apresentado pelo líder da bancada “laranja”, Juan Carlos Martins. O que os deputados pretendiam era uma “análise mais aprofundada da situação”, tendo na oportunidade solicitado à câmara o envio do historial do terreno e de todo o processo.
Duas semanas depois, a questão voltou a ser discutida no órgão deliberativo, acabando por ser votada pelas bancadas do PSD e CDS, tendo o PS optado pela abstenção. O encaixe da câmara é de 750 mil euros, verba que o centrista Jorge Pereira solicitou que fosse investida, na totalidade. “Em novas obras, e que não entrasse para despesa corrente”, acrescentou. A resposta foi dada de pronto, pelo presidente da câmara, tendo Silvério Regalado garantido que aquele montante “seria para investimento”.

Ler mais na edição impressa ou digital