Já se iniciaram os trabalhos de construção do “Parque da Cidade” de Oliveira do Bairro, nos Pinheiros Mansos, com um investimento superior a 400 mil euros e prazo de execução de quatro meses.

Para esta obra, a Câmara conseguiu um financiamento de 155.093,65 euros, correspondente a 75% do investimento elegível (206.791,55 euros), por parte do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e Fundo de Coesão (FC), na sequência de uma candidatura apresentada no âmbito da promoção da adaptação às alterações climáticas e prevenção e gestão de riscos.

Em dezembro passado, aquando do anúncio do projeto por parte do município, o vice-presidente da Câmara, Jorge Pato, explicou que o principal objetivo da intervenção passava por “valorizar e preservar o Parque dos Pinheiros Mansos, pulmão da cidade, aproveitando as suas potencialidades paisagísticas, ecológicas, sociais e florestais, de modo a contribuir para o desenvolvimento sustentável do Concelho, com melhor qualidade da vida para os nossos munícipes e sendo mais um atrativo para quem nos visita, reforçando a promoção de práticas saudáveis ao ar livre e o envolvimento da nossa comunidade”.

Ainda segundo aquele autarca, o projeto vai criar “uma área verde urbana com cerca de 27.500m2, que vai permitir a ligação pedonal e ciclável entre os vários equipamentos escolares e desportivos existentes na envolvente”.

A intervenção a realizar prevê a plantação de 300 árvores autóctones, de forma a aumentar a área de sombra e promover a melhoria da capacidade adaptativa e diminuição da vulnerabilidade dos impactes das alterações climáticas.

Os trilhos, assim como os percursos de ligação entre os diferentes equipamentos escolares e desportivos, serão dotados de sinalética própria, com painéis informativos com textos e design apelativos, papeleiras com tampa para colocação do lixo, setas de indicação das direções e bancos com costas distribuídos ao longo dos percursos.

Para além destes equipamentos vão ser acrescentados outros elementos no espaço, nomeadamente um passadiço e pontes em madeira.

Consequentemente, haverá o cuidado em proteger as três lagoas principais existentes, com guardas de proteção em madeira. A vala existente será recuperada e tratada, os caminhos/trilhos existentes vão ser limpos e terão um tratamento permeável à base de saibro compactado, com valetas para o encaminhamento das águas da chuva para as lagoas.

Serão ainda construídos sanitários públicos, baseados no conceito de infraestruturas verdes. Outra mais valia do investimento será o aproveitamento de águas pluviais acumuladas de forma natural nas lagoas, para a rega de zonas ajardinadas e da relva do Estádio Municipal, contíguo ao parque.

A comparticipação financeira do FEDER/FC para o Parque da Cidade prevê ainda um plano de comunicação, que tem como objetivo despertar os cidadãos para a importância da preservação do meio natural e florestação.