Vagos

Vagos

Câmara de Vagos atribui subsídios

Apesar das reconhecidas (e assumidas) dificuldades financeiras, a Câmara de Vagos acaba de atribuir alguns subsídios a clubes e outros organismos, sediados no concelho. É o caso, por exemplo, do Grupo Desportivo de Calvão, cuja subida à prova máxima da Associação de Futebol de Aveiro (AFA), já se encontra garantida. Para fazer face a despesas inadiáveis com a actividade do clube, para a época 2001/2002, a autarquia decidiu-se pela atribuição de uma verba de 15.000 euros (3.000 contos). Cerca de metade daquele montante, 8.728,98 euros (1.750 contos), coube ao Grecas, para assegurar a realização do VII Cross de Vagos de âmbito nacional.
A nível cultural, foi decidida a atribuição aos Bombeiros de um subsídio de 2.000 euros (400 contos). Em causa está o espectáculo “Nuvem de Estrelas” que a autarquia habitualmente patrocina, pelo que está ainda assegurada a distribuição de sacos de lembranças pelos concorrentes e membros do júri. Um trabalho levado a cabo no âmbito do projecto área-escola, pela Escola Secundária,sob o tema “Partilhar vivências, preparar o futuro”, mereceu a atenção da Câmara, liderada por Rui Cruz, que lhe atribuiu um subsídio de 124,70 euros (25 mil escudos). Mais “benemérita” foi a autarquia vaguense com o Colégio de Calvão, cuja equipa de voleibol feminino foi representar a região centro no “XII Torneio da Madeira”. O subsídio atribuído, no valor de 1.558,44 euros (cerca de 312 cantos), destinou-se ao pagamento de parte da viagem à referida equipa. Entretanto, decidiu-se também pelo pagamento de uma verba fixa de 37,41 euros (750 escudos/mês) a crianças carenciadas do concelho. Aquele montante diz respeito ao ano lectivo em curso (Setembro de 2001 a Julho de 2002), e vai contemplar crianças do Centro de Acção Social de Covão do Lobo, Centro Social e Paroquial de Fonte de Angeão e Calvão, Comissão de Apoio e Desenvolvimento de Santa Catarina, Associação Betel da Ponte de Vagos, e Santa Casa da Misericórdia de Vagos.

(10 Mai / 10:26)

E.J.

Vagos

Espectáculo em Vagos com pilotos de França

Vai realizar-se no próximo dia 12 de Maio, domingo, na Avenida junto ao Pavilhão Municipal, um espectáculo internacional com os famosos pilotos de França (Cascadeurs).
A responsabilidade da realização é da Comissão de Festas 2002 da vila de Vagos e tem o apoio da Câmara Municipal.
Trata-se de um espectáculo invulgar, de muita adrenalina, que apaixona muita gente.
Assim a Comissão de Festas espera que acorram muitos fãs e admiradores destes pilotos, que fazem maravilhas com os carros.

(25 Abr /18:50)

Vagos

Suspensão por 120 dias

Carlos Bento abandona Executivo de Vagos

Derrotado nas últimas autárquicas por cerca de 700 votos, o ex-presidente da Câmara de Vagos tem, desde o dia 25 de Março, o mandato de vereador suspenso por um período de 120 dias. Foi substituído por João Marques, que, no mandato anterior, foi vereador do pelouro da Cultura.

No requerimento, apresentado nos termos do Artigo 77 da Lei 169/99 de 18 de Setembro, Carlos Bento, que, desde que tomou posse, em Janeiro passado, apenas participou numa única reunião do Executivo camarário de Vagos, presidido por Rui Cruz, alega que o exercício do mandato para que tinha sido eleito se tornou “incompatível” com a actividade profissional liberal (medicina), que actualmente exerce.
Uma incompatibilidade alegadamente “desconhecida” para o Executivo camarário de maioria social-democrata, que, à falta de especificação, decidiu não aceitar os argumentos invocados por Carlos Bento. Na votação que se seguiu, o PSD resolveu abster-se, tendo o referido requerimento sido votado favoravelmente apenas pelos dois vereadores do CDS/PP, Paulo Neta e Álvaro Rosa. Uma decisão que não colhe de surpresa o ex-autarca, que confirmou a este jornal serem apenas “motivos de ordem profissional e não outros” que o levam a tomar tal decisão. Sem querer entrar em grandes detalhes, Carlos Bento, que há cerca de duas semanas, viu confirmado o seu pedido de aposentação da Função Pública, confessou, no entanto, que está “farto de guerras”.
Ouvido, o presidente da Câmara de Vagos, Rui Cruz, considerou o pedido de suspensão “sui generis”. E explicou porquê, alegando que, enquanto presidente da Câmara, “nunca a actividade profissional exercida pelo Dr. Carlos Bento foi incompatível com o mandato”. Rui Cruz, que remeteu para os vereadores centristas a “respnsabilidade” da votação do requerimento, disse, por outro lado, esperar que estes tenham conhecimento do cumprimento da Lei, relativamente aos motivos invocados.
Embora admitindo “alguma precipitação”, por parte de Carlos Bento, fonte centrista disse, entretanto, que o “ónus político” que recai sobre o Partido vai ser devidamente avaliado, em próxima reunião da Concelhia do CDS/PP. “Não há-de ser nada”, adiantou a mesma fonte, para quem a acção política no concelho de Vagos vai continuar.

Eduardo Jaques

(12 Abr / 10:46)

Vagos

Vagos/Empresas

Protocolo com PT para comunicações mais baratas

Agentes económicos de Vagos (Aveiro) vão ter acesso a telecomunicações mais baratas nos termos de um protocolo a celebrar segunda-feira entre o Núcleo Empresarial (NEVA) daquela localidade e a PT Comunicações.
Segundo o presidente do NEVA, João Pedro Martins, o protocolo permite aos empresários de Vagos o acesso em condições mais vantajosas a redes de comunicações fixa e móvel e de transmissão de dados.
Assegura também preços preferenciais na aquisição de equipamento e prioridade no apoio pós-venda, bem como no acesso a programas de informação e formação.
Uma fonte da Portugal Telecom declarou que o protocolo se insere numa estratégica de intensificar a interacção com todas as associações representativas do tecido empresarial português, “em especial aquelas que têm nas telecomunicações uma ferramenta fundamental para o dia a dia”.
O NEVA foi criado em Dezembro de 1993 e é membro do Conselho Empresarial do Centro.

Lusa

(6 Abr / 23:46)

Vagos

Vagos

Parar e repensar – Câmara diz “não” à Florivagros

Elevados custos financeiros e localização inadequada são duas “boas” razões para não fazer este ano a Florivagros. A decisão está tomada, mesmo com protestos da Oposição, mas o Executivo camarário compromete-se a repensar o certame.

Lançada com “boas intenções” no consulado de João Rocha, em 1986, por sugestão de Carlos Souto, técnico do Ministério da Agricultura destacado na Cooperativa Agrícola de Vagos, a realização da “Florivagros”, está seriamente comprometida. Pelo menos, para o corrente ano, conforme disse presidente da Câmara, que no entanto se mostra disponível para repensar todo o evento, de molde a poder relançá-lo, mais tarde, “com conta peso e medida”.
Em causa não estão apenas razões de carácter financeiro, se bem que o contraponto da falta de liquidez sentida pela autarquia vaguense a tal possa conduzir. Segundo Rui Cruz, que admitiu que seria “um luxo” continuar a despender 150.000 euros (cerca de 30 mil contos) num certame “completamente desenquadrado da realidade do concelho”. A localização e a própria temática da feira também merecem ser seriamente repensadas.
Recusando terminantemente lançar uma feira, que, conforme referiu, é uma amálgama de temas e “acaba por não ser coisa nenhuma, o presidente da Câmara quer “reenquadrar” todo o evento. E, se possível, torná-lo cada vez mais “profissional e excelente”, para que possa representar e divulgar algumas das “boas qualidades” do concelho, quer a nível da agro-pecuária, do turismo, ou na vertente industrial.
Pouco ou nada chocado com o facto de estar a “mexer” num certame, que foi inicialmente “apadrinhado” por um antigo “barão” do PSD local, Rui Cruz diz, que a feira “até pode não acabar”. “Queremos é dar-lhe algum sentido, que aproveite ao concelho e aos seus munícipes, justifica o autarca vaguense.

Eduardo Jaques

Vagos

Vagos

Autora alemã lança livro

No sabado, dia 1 de Junho com hora marcada para às 21.30 horas vai realizar-se, no auditório do Centro de Educação e Recreio (cinema) em Vagos, o lançamento de um livro da autoria da escritora alemã Barbara Seuffert, que vive de há anos para cá na Carregosa, com apoio da Câmara Municipal de Vagos.

(20 Mai / 17:48)

Vagos

Vagos

Câmara Municipal atribui mais subsídios

A Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos (EPADRV), vai realizar, em parceria com a Câmara Municipal de Vagos, o evento “Dia de Feira”, que terá lugar nos dias 28, 29 e 30 de Junho.
Para o efeito a Câmara Municipal deliberou atribuir um subsídio no valor de 8.500 euros, destinado às despesas de angariação e promoção do evento.
Entretanto, outros subsídios foram atribuídos: Banda Filarmónica Vaguense para aquisição de instrumentos, fardas, arrendamento da sala e o pagamento de despesas de regente, 14.250 euros; Grupo de Teatro, 2.500 euros para o exercício da actividade do ano 2001/2002; Rancho Folclórico “Luz e Vida”, de Ponte de Vagos, 2.500 euros para realização das actividades do corrente ano; Corpo Nacional de Escutas, (Agrupamento 911 de Santa Catarina), 1.000 euros, para fazer face às despesas com as actividades de 2002 e contemplada foi também a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Secundária de Vagos (APESVA), por conta das actividades do corrente ano.

(26 Jun / 9:02)

Vagos

Vagos

Atribuição de subsídios

A Câmara Municipal deliberou fixar em 40,00 e 25,00 euros o subsídio escolar dos alunos das Escolas do 1º. Ciclo do Ensino Básico, no ano lectivo de 2001/2002, para os escalões A e B, respectivamente. Os alunos do Agrupamento Norte, abrangidos pelo escalão A são 48 e pelo B são 32, o que perfaz o montante de 2.395 euros, sendo os alunos do Agrupamento Sul abrangidos pelo Escalão A 62 e pelo B 32, o que perfaz um montante de 3.280 euros.
Outros subsídios:
Grupo Folclórico de Santo António de Vagos, 2.500 euros, destinado ao funcionamento das actividades da Instituição durante o ano de 2002.
Mais foi deliberado atribuir um subsídio no mesmo valor (2.500 euros) para financiar a organização do Festival do Moliceiro promovida por esta Entidade.
Associação de Ciclismo de Aveiro para a realização da 24ª. Edição do Grande Prémio “Abimota” – Meta Volante, 500 euros;
Escola do 1º. Ciclo do Ensino Básico de Vagos, subsídio no valor de 250 euros, destinados à substituição à substituição da fotocopiadora, uma vez que a existente se encontrava avariada;
Junta de Freguesia de Ponte de Vagos, 1.156 euros para custear as despesas efectuadas com a aquisição de placas toponímicas para a freguesia, e outro de 2.295 euros destinado aos arranjos da Escola do 1º. CEB de Carvalhais;
Centro de Educação e Recreio, 400 euros, destinado ao pagamento do aluguer da sala para os ensaios do Projecto;
Junta de Freguesia de Fonte de Angeão, 1.250,75 euros, para pagamento dos trabalhos e realizados na obra do arranjo exterior da Escola do 1º. Ciclo do Ensino Básico,;
Associação dos Bombeiros Voluntários de Vagos, 5.000 euros por conta do subsídio global a atribuir para as actividades do ano 2002;
Grupo Polifónico de Santa Cecília de Calvão, 4.000 euros, para fazer face às despesas do corrente;
Fábrica da igreja de Vagos, 7.000 euros, para custear as despesas com a pavimentação em alcatrão do Recinto do Santuário de Santa Maria de Vagos;
Junta de Freguesia de Santa Catarina, 250 euros, destinado ao aluguer de um palco para as festas desta localidade;
Associação Desportiva de Vagos, 10.000 euros, destinados às actividades desta Associação, época desportiva 2001 e 2002 em complemento do já atribuído no valor de 5.000 euros;
Centro Recreativo e Acção Social – CRAC, para a realização das actividades da época desportiva 2001/2002.
Escola Secundária de Vagos, 130 euros, para custear as despesas de alunos carenciados, numa visita de estudo no âmbito da área escolar, a Braga;
Rancho Folclórico de Fonte de Angeão, subsídio no valor de 2.500 euros para fazer face às despesas das actividades do ano 2002;
Agrupamento Horizontal de Escolas Vagos Norte, 850 euros, destinado ao lanche das crianças dos Jardins de Infância e Escolas do 1º. Ciclo do Ensino Básico daquele Agrupamento Horizontal de Escolas Vagos Sul;
Banda Filarmónica Vaguense, 14.350 euros para aquisição de instrumentos, fardas, arrendamento da sala e pagamento ao regente;
Grupo de Teatro de Calvão, 2.500 euros, destinado às da actividade do corrente ano;
Rancho Folclórico Luz e Vida de Ponte de Vagos, 2500 euros, destinado às actividades de 2002;
Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento 911 de Santa Catarina, 1.000 euros, para as actividades 2002;
Subsídio de 25.000 euros para Junta de Freguesia de Vagos para pagamento da mão de obra utilizada na execução dos cobatos no cemitério de Vagos;
Subsídio à Junta de Freguesia de Ponte de Vagos, para fazer face às despesas de materiais que se prendem com equipamento da infraestrutura do ATL.
“2ª. feira Gastronómica e Cultural” no valor de 4.200 euros, para as despesas de animação cultural do evento;
Arranjo do Fontanário da Gândara na freguesia de Fonte de Angeão, 6.090 euros;
Construção de passeios do Centro da Freguesia de Ponte de Vagos, 5.208 euros;
Arranjo urbanístico do Largo da igreja de Santo António de Vagos, 18.977 euros;
Grupo Nacional de Escutas, Agrupamento de Vagos, 1.000 euros, em regime de excepção, para a realização das actividades do ano de 2002.

(9 Jul / 10:15)

Vagos

Padre Manuel Creoulo eternizado em bronze

Daniel Rodrigues

O Padre Manuel Creoulo foi homenageado em Santo António de Vagos, onde esteve mais de meio século criando comunidade, fazendo obras para gente nova e idosa. Um facto que ninguém pode contestar. A consciência de cada um o saberão testemunhar. Tivemos pena de não o sabermos, porque senão estaríamos bem presente, não só louvando o Senhor do Universo por tão grande homem dar a uma terra, a uma região, mas, também, por o dotar de dotes que o elevaram ao sacerdócio, a ser tudo para todos, nas mais diversas facetas. E bem anda um Povo quando sabe tributar algo de gratidão a quem por ele doou uma vida.
Mais de meio século servindo é uma molécula de água oceânica, ou de rio que corre para o infinito Mar onde Padre Creoulo já se encontra.
O bronze seria pouco se esse metal não significasse uma eternidade de homenagem prestada ao homem que construiu outros homens, queria dizer, outras Pessoas. Mas a homenagem não é monopólio da terra que celebrou, mas de toda uma região que via nesse homem – sacerdote do Altíssimo, o músico, o cantor de ranchos, o dinamizador do cooperativismo. Que o diga a Cooperativa que muitos anos dirigiu, o Pároco que ergueu um Lar para os que não pudessem já amanhar a terra ali fossem terminar os seus dias, porque os familiarese já os não podiam ter no seu doce lar.
Bem disse D. António Marcelino, que o Padre Creoulo foi um homem, um sacerdote que “passou fazendo o bem”. E nós remataríamos num latim um tanto popular: “Bene faciendi transit”.
Que todos quantos passarem pelo seu busto se recordem de que o bem não se faz só ou a sós. Fica na maneira como se fizer a partilha com os mais carenciados. Em frente da Igreja, onde 51 anos celebrou a Palavra e o Sacrifício, está um grande painel com os nomes dos que correram com febres, doenças de há quase um século, porque os meios nesses tempos não chegavam nem de burro. E morria-se, proclamando a voz do Povo, resignadamente: “Olha, chegou a sua hora!”. Chegava, mas talvez antes do tempo. Padre Creoulo soube ajudar a dar a volta a essas situações, trabalhando, ensinando, ajudando. Não dava só o peixe, entregava também a cana!…
O Povo soube ser grato! É o sempre!

(9 Jul / 10:23)

Vagos

Vagos

Estádio Municipal de Vagos

Tendo sido visado o empréstimo contraído pelo Tribunal de Contas e ultrapassados os motivos que levaram à suspensão da obra “Estádio Municipal de Vagos”, a Câmara Municipal deliberou que os trabalhos recomeçassem a partir de 1 de Julho;
Também foi homologada a candidatura da Piscina de alta competição ao III QCA, pelo que foi deliberado reiniciar trabalhos igualmente a partir do dia 1 de Julho do corrente ano.

(10 Jul / 13:44)

Vagos

Vagos

Novo Centro de Saúde de Vagos

Foi aprovado o projecto do novo Centro de Saúde de Vagos e autorizar a abertura de concurso e foi também aprovada a minuta do contrato programa do Centro de Saúde e Extensão de Ponte de Vagos a celebrar entre a Administração Regional de Saúde e esta autarquia que contempla S.A.P. das 8.00 às 24.00 horas, investimento de cerca de 3.000.000 euros em infra-estruturas e equipamentos.
Foi celebrado um acordo entre a empresa adjudicante, a empresa adjudicatária e a Câmara Municipal para a reposição integral e alargamento da plataforma da estrada Florestal 1.
Foi homologada pelo Ministro das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, em 5 de Junho passado, a candidatura da Piscina de Alta Competição ao QCA III – P.O. centro, Eixo I – Medida I.
Foi deliberado proceder à aquisição de um prédio rústico com a área de 524m2 no valor de 12.470 euros, para a execução da estrada que ligará Lomba a Corgo do Seixo de Cima e o Estradão da Lomba à Estrada Nacional 109, na freguesia de Santo António de Vagos.
Foi deliberado autorizar a Câmara Municipal a adquirir de acordo com o parecer técnico, os terrenos necessários para a execução da obra “Praça Central da Praia da Vagueira”.
A Câmara procedeu à construção dos novos balneários na praia da Vagueira.
Estão a decorrer obras no cemitério de Vagos: recuperação de muros, construção de passeios, escadaria e jazigos.

(10 Jul / 13:46)

Vagos

Vagos

Atribuição de subsídios

A Câmara Municipal deliberou fixar em 40,00 e 25,00 euros o subsídio escolar dos alunos das Escolas do 1º. Ciclo do Ensino Básico, no ano lectivo de 2001/2002, para os escalões A e B, respectivamente. Os alunos do Agrupamento Norte, abrangidos pelo escalão A são 48 e pelo B são 32, o que perfaz o montante de 2.395 euros, sendo os alunos do Agrupamento Sul abrangidos pelo Escalão A 62 e pelo B 32, o que perfaz um montante de 3.280 euros.
Outros subsídios:
Grupo Folclórico de Santo António de Vagos, 2.500 euros, destinado ao funcionamento das actividades da Instituição durante o ano de 2002.
Mais foi deliberado atribuir um subsídio no mesmo valor (2.500 euros) para financiar a organização do Festival do Moliceiro promovida por esta Entidade.
Associação de Ciclismo de Aveiro para a realização da 24ª. Edição do Grande Prémio “Abimota” – Meta Volante, 500 euros;
Escola do 1º. Ciclo do Ensino Básico de Vagos, subsídio no valor de 250 euros, destinados à substituição à substituição da fotocopiadora, uma vez que a existente se encontrava avariada;
Junta de Freguesia de Ponte de Vagos, 1.156 euros para custear as despesas efectuadas com a aquisição de placas toponímicas para a freguesia, e outro de 2.295 euros destinado aos arranjos da Escola do 1º. CEB de Carvalhais;
Centro de Educação e Recreio, 400 euros, destinado ao pagamento do aluguer da sala para os ensaios do Projecto;
Junta de Freguesia de Fonte de Angeão, 1.250,75 euros, para pagamento dos trabalhos e realizados na obra do arranjo exterior da Escola do 1º. Ciclo do Ensino Básico,;
Associação dos Bombeiros Voluntários de Vagos, 5.000 euros por conta do subsídio global a atribuir para as actividades do ano 2002;
Grupo Polifónico de Santa Cecília de Calvão, 4.000 euros, para fazer face às despesas do corrente;
Fábrica da igreja de Vagos, 7.000 euros, para custear as despesas com a pavimentação em alcatrão do Recinto do Santuário de Santa Maria de Vagos;
Junta de Freguesia de Santa Catarina, 250 euros, destinado ao aluguer de um palco para as festas desta localidade;
Associação Desportiva de Vagos, 10.000 euros, destinados às actividades desta Associação, época desportiva 2001 e 2002 em complemento do já atribuído no valor de 5.000 euros;
Centro Recreativo e Acção Social – CRAC, para a realização das actividades da época desportiva 2001/2002.
Escola Secundária de Vagos, 130 euros, para custear as despesas de alunos carenciados, numa visita de estudo no âmbito da área escolar, a Braga;
Rancho Folclórico de Fonte de Angeão, subsídio no valor de 2.500 euros para fazer face às despesas das actividades do ano 2002;
Agrupamento Horizontal de Escolas Vagos Norte, 850 euros, destinado ao lanche das crianças dos Jardins de Infância e Escolas do 1º. Ciclo do Ensino Básico daquele Agrupamento Horizontal de Escolas Vagos Sul;
Banda Filarmónica Vaguense, 14.350 euros para aquisição de instrumentos, fardas, arrendamento da sala e pagamento ao regente;
Grupo de Teatro de Calvão, 2.500 euros, destinado às da actividade do corrente ano;
Rancho Folclórico Luz e Vida de Ponte de Vagos, 2500 euros, destinado às actividades de 2002;
Corpo Nacional de Escutas – Agrupamento 911 de Santa Catarina, 1.000 euros, para as actividades 2002;
Subsídio de 25.000 euros para Junta de Freguesia de Vagos para pagamento da mão de obra utilizada na execução dos cobatos no cemitério de Vagos;
Subsídio à Junta de Freguesia de Ponte de Vagos, para fazer face às despesas de materiais que se prendem com equipamento da infraestrutura do ATL.
“2ª. feira Gastronómica e Cultural” no valor de 4.200 euros, para as despesas de animação cultural do evento;
Arranjo do Fontanário da Gândara na freguesia de Fonte de Angeão, 6.090 euros;
Construção de passeios do Centro da Freguesia de Ponte de Vagos, 5.208 euros;
Arranjo urbanístico do Largo da igreja de Santo António de Vagos, 18.977 euros;
Grupo Nacional de Escutas, Agrupamento de Vagos, 1.000 euros, em regime de excepção, para a realização das actividades do ano de 2002.

(9 Jul / 10:15)

Vagos

Padre Manuel Creoulo eternizado em bronze

Daniel Rodrigues

O Padre Manuel Creoulo foi homenageado em Santo António de Vagos, onde esteve mais de meio século criando comunidade, fazendo obras para gente nova e idosa. Um facto que ninguém pode contestar. A consciência de cada um o saberão testemunhar. Tivemos pena de não o sabermos, porque senão estaríamos bem presente, não só louvando o Senhor do Universo por tão grande homem dar a uma terra, a uma região, mas, também, por o dotar de dotes que o elevaram ao sacerdócio, a ser tudo para todos, nas mais diversas facetas. E bem anda um Povo quando sabe tributar algo de gratidão a quem por ele doou uma vida.
Mais de meio século servindo é uma molécula de água oceânica, ou de rio que corre para o infinito Mar onde Padre Creoulo já se encontra.
O bronze seria pouco se esse metal não significasse uma eternidade de homenagem prestada ao homem que construiu outros homens, queria dizer, outras Pessoas. Mas a homenagem não é monopólio da terra que celebrou, mas de toda uma região que via nesse homem – sacerdote do Altíssimo, o músico, o cantor de ranchos, o dinamizador do cooperativismo. Que o diga a Cooperativa que muitos anos dirigiu, o Pároco que ergueu um Lar para os que não pudessem já amanhar a terra ali fossem terminar os seus dias, porque os familiarese já os não podiam ter no seu doce lar.
Bem disse D. António Marcelino, que o Padre Creoulo foi um homem, um sacerdote que “passou fazendo o bem”. E nós remataríamos num latim um tanto popular: “Bene faciendi transit”.
Que todos quantos passarem pelo seu busto se recordem de que o bem não se faz só ou a sós. Fica na maneira como se fizer a partilha com os mais carenciados. Em frente da Igreja, onde 51 anos celebrou a Palavra e o Sacrifício, está um grande painel com os nomes dos que correram com febres, doenças de há quase um século, porque os meios nesses tempos não chegavam nem de burro. E morria-se, proclamando a voz do Povo, resignadamente: “Olha, chegou a sua hora!”. Chegava, mas talvez antes do tempo. Padre Creoulo soube ajudar a dar a volta a essas situações, trabalhando, ensinando, ajudando. Não dava só o peixe, entregava também a cana!…
O Povo soube ser grato! É o sempre!

(9 Jul / 10:23)

Vagos

Vagos

Estádio Municipal de Vagos

Tendo sido visado o empréstimo contraído pelo Tribunal de Contas e ultrapassados os motivos que levaram à suspensão da obra “Estádio Municipal de Vagos”, a Câmara Municipal deliberou que os trabalhos recomeçassem a partir de 1 de Julho;
Também foi homologada a candidatura da Piscina de alta competição ao III QCA, pelo que foi deliberado reiniciar trabalhos igualmente a partir do dia 1 de Julho do corrente ano.

(10 Jul / 13:44)

Vagos

Vagos

Novo Centro de Saúde de Vagos

Foi aprovado o projecto do novo Centro de Saúde de Vagos e autorizar a abertura de concurso e foi também aprovada a minuta do contrato programa do Centro de Saúde e Extensão de Ponte de Vagos a celebrar entre a Administração Regional de Saúde e esta autarquia que contempla S.A.P. das 8.00 às 24.00 horas, investimento de cerca de 3.000.000 euros em infra-estruturas e equipamentos.
Foi celebrado um acordo entre a empresa adjudicante, a empresa adjudicatária e a Câmara Municipal para a reposição integral e alargamento da plataforma da estrada Florestal 1.
Foi homologada pelo Ministro das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, em 5 de Junho passado, a candidatura da Piscina de Alta Competição ao QCA III – P.O. centro, Eixo I – Medida I.
Foi deliberado proceder à aquisição de um prédio rústico com a área de 524m2 no valor de 12.470 euros, para a execução da estrada que ligará Lomba a Corgo do Seixo de Cima e o Estradão da Lomba à Estrada Nacional 109, na freguesia de Santo António de Vagos.
Foi deliberado autorizar a Câmara Municipal a adquirir de acordo com o parecer técnico, os terrenos necessários para a execução da obra “Praça Central da Praia da Vagueira”.
A Câmara procedeu à construção dos novos balneários na praia da Vagueira.
Estão a decorrer obras no cemitério de Vagos: recuperação de muros, construção de passeios, escadaria e jazigos.

(10 Jul / 13:46)

Deixar uma resposta

Primeira página

O JB no Facebook

Unable to display Facebook posts.
Show error

Error: (#10) To use 'Page Public Content Access', your use of this endpoint must be reviewed and approved by Facebook. To submit this 'Page Public Content Access' feature for review please read our documentation on reviewable features: https://developers.facebook.com/docs/apps/review.
Type: OAuthException
Code: 10
Please refer to our Error Message Reference.

Siga-nos

Share This