Realizou-se, nos dias 1 e 2 de Maio, o III Encontro Nacional do Clube Opel Clássicos de Portugal, que contou com 32 participantes com clássicos exclusivamente da marca Opel, que percorreu várias zonas do concelho de Cantanhede.
O passeio iniciou-se com um belíssimo pequeno-almoço servido na Adega Cooperativa de Cantanhede, onde fomos recebidos de uma forma a todos os títulos notável.
Com os estômagos mais aconchegados, seguimos em direcção ao Biocant onde, por gentileza de uma empresa aí instalada, Criostaminal, nos deu a possibilidade de ficarmos com uma ideia do muito que aí se faz.
Bastante agradados com o que vimos, seguimos para os Olhos da Fervença e seguidamente para Vilamar, onde fomos recebidos pelo presidente da Junta de Freguesia, Egídio Patrão, e nos foi explicado o fabrico e o conserto de ouro, ao que seguiu um segundo pequeno-almoço oferecido pela Junta a todos os participantes deste passeio, assim como uma medalha comemorativa do evento.
Após o almoço partimos para a vila de Ançã, onde fizemos uma prova de bolo e pudemos visitar as belezas arquitectónicas da vila.
A tarde já ia longa, terminando na Quinta de Baixo, onde saboreamos o excelente espumante aí fabricado.
No segundo dia, bem cedo, partimos para a Quinta do Encontro, onde tivemos a oportunidade de visitar uma adega do futuro.
O melhor ainda estava para vir quando, por gentileza da Junta de Freguesia da Tocha e do Clube de Caçadores, nos foi servido, nas instalações do clube, a famosa sardinha na telha, que deliciou todos os participantes. Daí partimos para a Praia da Tocha, de onde regressamos a Cantanhede para almoçar.
Após o almoço e entrega de lembranças a todos os participantes deste III encontro Nacional Opel, chegou a hora de partir. Via-se no seu semblante que, apesar do cansaço dos dois dias, estavam bastante agradados com aquilo que viram no concelho, deixando a certeza de que voltariam.
Este encontro foi o evento que teve maior êxito em todos os já realizados por este clube, diziam os sócios e participantes sem excepção.
Luís Patrão, mentor desta organização, era um homem feliz no final, pois viu o seu esforço e da direcção do Clube compensado com as palavras de agradecimento dos sócios.

Clube Opel Clássicos Portugal