Um grupo de investigadores da Universidade de Aveiro deu a conhecer, recentemente, os primeiros produtos dermocosméticos com fins terapêuticos e medicinais que desenvolveu a partir de areia carbonatada biogénica e de argila esmectítica, recursos geológicos singulares da ilha do Porto Santo.

As formulações desenvolvidas, em colaboração com a Faculdade de Farmácia do Porto e a Universidade Fernando Pessoa, ultrapassaram as expectativas criadas e suscitaram muito interesse na comunidade do Turismo de Saúde e Bem-Estar.

A ilha do Porto Santo possui um conjunto de recursos naturais diferenciadores, tais como clima, água do mar, água de nascente, areia carbonatada biogénica, argila esmectítica (bentonite) e, ainda, vegetais e frutos comestíveis, produzidos por agricultura biológica em solos desenvolvidos no tipo de areia especial referido, que permitem atribuir-lhe a designação de Estância Singular de Saúde Natural. Tradicionalmente, e de modo empírico, a areia carbonatada biogénica é utilizada, sob a forma de banhos de areia, em tratamentos de doenças de foro reumático, ortopédico e fisiátrico e a argila esmectítica aplicada em máscaras faciais.

Estes recursos têm vindo a ser estudados dos pontos de vista técnico, científico e clínico nos últimos 12 anos por uma equipa multidisciplinar para o seu aproveitamento e aplicação local em Clínicas de Geomedicina, em Centros de Talassoterapia e em SPAs. Investigar e aproveitar com bases científicas alguns dos recursos referidos foi o ponto de partida de um estudo, coordenado pelos investigadores Celso de Sousa Figueiredo Gomes e João Baptista Pereira Silva, da Unidade de Investigação, sediada na UA, Geobiociências, Geotecnologias e Geoengenharias (GEOBIOTEC).

Os cremes hidratantes e os sabonetes e géis esfoliantes concebidos apresentam propriedades específicas relevantes ao nível mineralógico, térmico, químico, bioquímico e hidroquímico, tanto no estado natural como depois de desenhados e reformulados, conforme explicam os investigadores.