Os dois homens que ficaram feridos numa explosão de foguetes ocorrida, na penúltima quarta-feira, cerca das 13h, nas festas em honra de N. Sra. das Febres, em Perrães, tiveram alta no mesmo dia que em deram entrada no Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro.

A descarga de foguetes foi efectuada no final da procissão, mas um “morteiro” não subiu e explodiu no chão. Fonte da GNR garantiu que a descarga de foguetes estava licenciada e foi efectuada num local ermo.

Os feridos, embora ligeiros, são António Ribeiro Maia, de 44 anos, residente na Giesta e Raul Ferreira Vidal (fogueteiro), de 70 anos, residente em Bicarenho, Valongo do Vouga, Águeda.

Fonte da Comissão de Festas assegurou que as condições de segurança estavam garantidas e que o rebentamento terá sido originado pelo facto de um foguete estar mal “armadilhado”.

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, sublinhou que “a responsabilidade das festas é da Comissão, competindo à GNR o adequado licenciamento”. “Neste caso concreto, emitimos um parecer favorável, de acordo com um pedido entrado no dia 1 de Setembro”, acrescentou o autarca.

António Gomes, comandante dos Bombeiros de Oliveira do Bairro, também confirmou que emitiu um parecer positivo para o lançamento dos foguetes.

No local, esteve uma equipa da PSP especializada na inactivação de engenhos explosivos, uma vez que ainda se encontrava no local uma caixa com foguetes. O caso vai agora ser investigado pela PSP, que tem competência em matéria de explosivos.

Recorde-se que o último incidente ocorrido com foguetes, no concelho de Oliveira do Bairro, remonta ao dia 15 de Janeiro de 2008. Nessa ocasião, um emigrante ficou ferido na sequência de uma explosão de material de pirotecnia durante as festas populares de Malhapão.