A Fundação Mata do Buçaco (FMB) vai realizar ao longo deste ano, a partir de Fevereiro, um programa de visitas com o objectivo de divulgar os valores naturais e culturais desta mata nacional.

A primeira visita do ciclo “Domingos na Mata”, hoje anunciada para 06 de Fevereiro, é subordinada ao tema “Árvores monumentais”.

“Para além de uma flora autóctone exuberante, a Mata Nacional do Buçaco alberga um arboreto com exemplares centenários, de porte notável, cuja origem remonta à época em que aqui habitavam os frades Carmelitas Descalços”, refere uma nota da FMB.

O presidente da Fundação, António Jorge Franco, disse à agência Lusa que o programa visa “criar todas condições para que as pessoas possam conhecer o interior da mata, sendo orientadas por técnicos com formação específica”.

Segundo António Jorge Franco, importa que os visitantes “aproveitem este espaço natural fantástico”.

A Mata do Buçaco, no concelho da Mealhada, integra uma colecção com mais de 80 árvores monumentais identificadas e descritas.

As várias visitas temáticas realizam-se no primeiro domingo de cada mês.

O número de participantes de cada percurso é limitado a um máximo de 25 pessoas, podendo haver desdobramento das visitas caso a procura o justifique.

A iniciativa propõe a divulgação de aspecto particulares da fauna, flora e habitats, além de curiosidades e histórias relacionadas com a mata e os seus valores naturais.

Dirigido ao público em geral, o programa de animação terá por alvo as famílias, sendo os percursos de “dificuldade média” e para serem executados por pessoas de todas as idades.

“Trata-se de um programa de interpretação e lazer, que não exige um esforço físico elevado e que pretende, sobretudo, promover a troca de conhecimento e informação”, refere a FMB em comunicado.

A FMB organiza o programa em parceria com a empresa Desafio das Letras.

De Marco a Dezembro, os temas do programa são os seguintes: “Essências e aromas”, “Pelos passos da Via Sacra”, “Carvalhais”, “Acácias e outras ameaças”, “Fontes, minas e lagos”, “Vales dos fetos e dos abetos”, “Novos ocupantes das ermidas de habitação”, “Bagas, frutos e sementes”, “Cogumelos e outras iguarias” e “Azevinhos centenários”.