O quartel dos Bombeiros Voluntários de Anadia é ponto de recepção de equipamentos eléctricos e electrónicos em fim de vida. Pequenos e grandes electrodomésticos, computadores e torradeiras, entre outros velhos equipamentos podem ser entregues nas instalações dos bombeiros, que asseguram o correcto encaminhamento deste tipo de resíduos.
Daí, que na última sexta-feira, a Câmara Municipal tenha sido palco da assinatura de um protocolo envolvendo a Amb3E (Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos) e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Anadia (AHBVA), que estabelece esta associação como local de recepção deste tipo de resíduos.
Por esta “tarefa”, os Bombeiros de Anadia recebem mensalmente 50 euros pela cedência de espaço do contentor próprio para armazenar este tipo de resíduos, assim como outros 50 euros por cada tonelada de resíduos entregues à Amb3E.
Uma forma, avançou Mário Teixeira, presidente da AHBVA de angariar mais alguma verba para a corporação, mas também de evitar que muitos munícipes atirem para pinhais e matas electrodomésticos em fim de vida. Quem comunga desta opinião é Litério Marques, presidente da autarquia anadiense. O autarca não deixou de destacar que, embora os munícipes de Anadia já contassem com o serviço para recolha de “monstros” (mobiliário velho e outros), nas Oficinas da Câmara, passam agora a contar também, de forma gratuita, com mais este serviço, em que a Câmara é igualmente parceira, na medida que é ela que vai recolher estes electrodomésticos, entregando-os no quartel, local onde está o contentor que, depois de cheio, é substituído por outro. Essa substituição fica a cargo da empresa Globalroda (sediada na Zona Industrial do Paraimo/Sangalhos) que será responsável pela logística. Para a cerimónia de assinatura do protocolo, esta fez-se representar pelo seu administrador, Paulo Mesquita.
“Queremos dar sustenta-bilidade à execução deste protocolo”, acrescentou Litério Marques, frisando que os munícipes podem contactar o telefone 231510730 (Câmara Municipal) para que a recolha seja imediatamente efectuada por uma equipa da autarquia.
Na ocasião, António Ferreira, da Amb3E, sublinhou que a empresa é uma entidade gestora sem fins lucrativos, licenciada pelos Ministérios da Economia e do Ambiente, que está responsável por montar no território nacional uma rede de recolha de resíduos.
“Os resíduos, assim que entram nos Bombeiros, vão ser desmantelados em condições controladas e em segurança, sendo reutilizados noutros objectos”, salientou António Ferreira.
De referir que o distrito de Aveiro passa a dispor de 15 locais de recepção de REEE, onde a população poderá entregar os seus equipamentos eléctricos e electrónicos em fim de vida, de forma cómoda e gratuita.

Catarina Cerca