Tem 2500 metros quadrados e vai tornar o Centro Social da Freguesia de Avelãs de Cima autosuficiente na produção de kiwis. A nova horta social foi “inaugurada” com toda a pompa e circunstância na tarde do passado dia 21.
À cerimónia não faltaram Santos Sousa, novo diretor do Centro Distrital de Segurança Social de Aveiro, Rosa Tomás, vereadora do Ambiente da Câmara Municipal de Anadia, beneméritos e amigos da instituição, bem como representantes de outras IPSS’s convidadas para o evento.
A horta, localizada junto à estrada, em terreno da instituição, foi toda vedada e terá, no futuro, um papel preponderante ao nível da ocupação lúdica e de lazer para os idosos e crianças que frequentam a instituição. Terá mais de 35 árvores de fruto, muitas plantas de kiwis, vários talhões divididos com cebolo, batata, alface, tomate, flores, abóboras, couves, feijão verde, entre muitos outros legumes. A estes vai juntar-se, em breve, também um grande galinheiro pronto a receber cerca de meia centena de aves.
A bênção deste espaço esteve a cargo do pároco Vitor Gabriel que, na ocasião, pediu a bênção da horta “para que os que nela vão trabalhar, possam da terra colher muitos e bons frutos”. A cerimónia, muito participada, contou ainda com a presença de mecenas (José Simões e Armando Barbas), que ofereceram à instituição uma motocultivadora, fundamental para a manutenção deste espaço e que irá dar resposta cabal às necessidades da instituição.

Agradável surpresa. Quem não faltou a este gesto simbólico, em Dia Mundial da Árvore, foi Santos Sousa, recentemente empossado diretor do Centro Distrital de Segurança Social de Aveiro que, pôde constatar, in loco, o crescimento desta grande instituição que é já o maior empregador da freguesia e uma referência na assistência à infância e à terceira idade.
Numa prolongada visita às instalações, Santos Sousa (ex-autarca da Murtosa) constatou a realidade da instituição que, neste momento, avança com a ampliação do Lar (para mais 13 camas) e que tem já em projeto a construção, em terreno anexo aos edifícios existentes, de uma meia dúzia de casas pré-fabricadas, tipo T1, onde casais podem fazer uma vida autónoma, mas usufruindo de todos os serviços oferecidos pela instituição.

Instituição exemplar. Na hora dos discursos, Santos Sousa mostrou-se muito satisfeito com a visita, reconhecendo no Centro Social “um exemplo na gestão de rigor e um exemplo para outras instituições”. Embora tenha entrado há apenas dois meses para a Segurança Social, acredita que se vão registar “mudanças para melhor”, avançando aos presentes ter aceite o desafio, num momento em que o país atravessa uma conjuntura difícil e em que “é preciso fazer mais com menos”, mas também “gerir melhor, para ser melhor”.
Na ocasião, Carlos Martins, presidente da instituição, referiu-se à horta como “um local de lazer”, porque “há mais vida para além das paredes da instituição, que se pauta “por prestar um serviço de grande qualidade, graças a uma equipa de colaboradoras que merece todo o respeito e carinho”.
Rosa Tomás, vereadora da autarquia anadiense, sublinhou o caráter de Santos Sousa, que conhece há já vários anos: “Não poderia haver melhor pessoa para o cargo que agora ocupa. É uma pessoa que prima pelo trabalho, pelo rigor e pela honestidade”, diria, não deixando de sublinhar que, tal como até aqui, o Centro Social quer ter a Segurança Social como parceira.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt