A Unidade de Cuidados Continuados (UCC) da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro, que custou mais de dois milhões de euros, está concluída há nove meses e não abre devido à falta de celebração de acordo de cooperação com a Administração Regional de Saúde do Centro (ARS). Em Portugal, existem cerca de 20 Unidades de Cuidados Continuados, num total de cerca de mil camas, que estão prontas ou em fase de finalização de obra, mas que não abrem pelo mesmo motivo.

José Soares, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Oliveira do Bairro, refere que “a UCC da Santa Casa “está terminada e totalmente equipada desde o início deste ano, inclusive temos selecionada a equipa de profissionais de enfermagem que vão fazer o arranque da UCC”. “Está tudo preparado para iniciar o seu funcionamento, desde fevereiro passado.”
O Provedor explica que “a partir do momento em que temos tudo pronto, não iniciando o trabalho para que foram concebidas, as instalações e equipamentos começam a deteriorar-se. Existem custos significativos, sem retorno, pelo facto de a unidade não trabalhar – custos financeiros, água, luz, trabalhos de manutenção diversa”.

Leia o artigo completo na edição impressa ou digital.