Renato Seabra, de Cantanhede, foi condenado, esta sexta-feira, pelo Supremo Tribunal de Nova Iorque a uma pena mínima de 25 anos de prisão. O jovem, considerado culpado da morte de Carlos Castro, quebrou o silêncio e pediu perdão à família do cronista social.

Detido há mais de um ano no estabelecimento prisional de Rikers Island depois de ter assassinado de forma violenta o cronista, com quem mantinha um relacionamento, o jovem enfrentava uma pena de 15 anos de cadeia a prisão perpétua.

Um júri considerou-o recentemente culpado do homicídio, refutando assim a tese da defesa de que de não estaria na posse de todas as suas faculdades quando cometeu o crime.