camara_oliveira_bairro

A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro reduziu, em 2012, o valor em dívida com empréstimos bancários e com fornecedores em mais de um milhão de euros.
O Relatório de Gestão e Prestação de Contas de 2012 da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, aprovado, na penúltima quinta-feira, por maioria com duas abstenções (Henrique Tomás, PS) e Jorge Mendonça, CDS/PP) e o voto contra do centrista Jorge Pato, revela que o valor em dívida com empréstimos bancários e com fornecedores a curto prazo baixou 1.061.432,92 euros e 253.570,16 euros, respetivamente. Um relatório que, segundo o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, espelha um exercício financeiro de um ano, 2012, que “foi marcado por uma conjuntura económica, nacional e internacional, negativa, com indicador de clima económico a manter o acentuado movimento descendente observado, desde o ano de 2010, num contexto de forte incerteza associado a falta de liquidez nos mercados, agravamento de taxas de juros e implementação de medidas de austeridade com impacto nos níveis de consumo e de bem estar geral”. “Nesta conjuntura cabe igualmente relevar as medidas inscritas no Orçamento de Estado para 2012, em matéria de consolidação das finanças e de redução da despesa com vista a consolidação orçamental prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento para 2010/2013, pelo que vale mencionar, desde logo, o decréscimo nas transferências obrigatórias do Orçamento de Estado para as autarquias locais, que representou para Oliveira do Bairro cerca de 334 mil euros, comparando com o ano de 2011”.
Reduções. Mário João Oliveira destacou as variações mais pertinentes face a 2011, como “a redução das despesas com pessoal, a diminuição do valor em dívida com empréstimos bancários e de fornecedores a curto prazo, bem como a quebra na receita, justificada pela conjuntura económica recessiva que caraterizou o ano 2012”. “Com a certeza de que a área social vai exigir mais, face à conjuntura atual, saberemos e teremos a capacidade de responder aos novos desafios que se avizinham”, acrescentou.
Explicou ainda que “uma vez que a receita corrente paga a totalidade da despesa corrente e ainda vai libertar o valor de 2.786.319,08 euros; o saldo a transferir em instituições bancárias no valor de 3.439.311,86 euros e as comparticipações a receber do QREN já aprovadas e não recebidas, à data de 31 de dezembro de 2012, no montante de 8.230.365,20 euros permitem executar todos os projetos na íntegra, reduzir a dívida e encarar o futuro com segurança”.
O autarca de Oliveira do Bairro referiu ainda que “é a primeira vez que temos a certificação legal de contas por parte do revisor, tendo as mesmas sido auditadas por um auditor de externo”. “Estas contas evidenciam o registo numérico do muito trabalho desenvolvido que não se traduz em números, mas em qualidade, imenso trabalho, que por vezes não tem visibilidade imediata”, acrescentou Mário João Oliveira, afirmando que “traduzem a prestação de toda a equipa municipal. Somos sete, mas refiro-me aos quatro que têm a responsabilidade de executar o maior investimento de sempre no concelho, para o concelho e para o usufruto dos nossos concidadãos”.
Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt