Assinar
Águeda // Anadia // Bairrada // Cantanhede // Mealhada // Oliveira do Bairro  

Ordem dos Médicos Dentistas e Ministério da Saúde assinam alargamento do programa cheque-dentista

O protocolo que prevê o alargamento do programa cheque-dentista aos jovens com 15 anos completos e a rastreios, diagnóstico e tratamento do cancro oral foi assinado, ontem, na sede da Ordem dos Médicos Dentistas, no Porto.
O documento prevê a realocação de recursos do programa de forma a poder abarcar as novas valências, sendo de salientar que a dotação orçamental do programa mantém-se nos 16,5 milhões de euros.
Orlando Monteiro da Silva, Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, afirma que “face aos excelentes resultados obtidos consideramos que faz todo o sentido alargar o programa. É importante continuar a acompanhar os jovens e este alargamento vai permitir seguramente ganhos no futuro, já que o tratamento precoce é essencial na saúde oral. Em relação ao cancro oral, o programa vai funcionar nas vertentes de rastreio, diagnóstico e tratamento. O cancro oral é o sexto mais mortífero em Portugal, mas se for tratado na fase inicial tem índices de sobrevivência com qualidade muito elevados. Hoje o que acontece é que os doentes chegam tarde aos consultórios dos médicos dentistas. Acreditamos que com o alargamento do cheque dentista ao cancro oral seja possível dentro de alguns anos reduzir a taxa de mortalidade”.
Na cerimónia de assinatura foram divulgados os últimos dados disponíveis sobre o programa. Nos primeiros quatro meses deste ano, os cheques-dentista foram utilizados por 250.326 beneficiários.
No total, desde que foi emitido o primeiro cheque-dentista, em junho de 2008, houve mais de um milhão e meio de pessoas a utilizarem o cheque-dentista, sendo que destas mais de um milhão são crianças.
Orlando Monteiro da Silva realça que “a saúde oral é a nossa prioridade. No atual contexto que Portugal enfrenta esta é a contribuição dos médicos dentistas, queremos consolidar os ganhos já conseguidos, são ganhos que a médio e longo prazo vão seguramente significar poupanças para o Estado. Quando mais cedo os problemas de saúde oral foram detetados, mas fácil e económico é tratá-los”.
Nos últimos cinco anos foram emitidos mais de dois milhões de cheques-dentista e realizados quase 5 milhões de tratamentos pelos 2.837 médicos dentistas que aderiram ao programa.