A região da Bairrada acolheu, entre 21 e 23 de outubro, a Associação de Sommeliers da Europa (ASE), que escolheu, este ano, Portugal e a região bairradina para realizar a sua Assembleia Geral anual.
A Rota da Bairrada e a Comissão Vitivinícola da Bairrada, juntamente com as Câmaras Municipais de Anadia, Mealhada e o Turismo Centro de Portugal, foram os anfitriões do grupo nesta estadia de três dias na Bairrada, proporcionando um vasto e completo programa de visita, dando a conhecer um pouco da região em várias das suas vertentes.
O grupo “de força”, constituído por escanções, produtores de vinhos e outros opinon makers na área do vinho, provenientes da Suíça, França, Holanda, Alemanha, Mónaco, Itália, Moldávia e Luxemburgo, faz um balanço muito positivo da visita, mostrando-se mesmo surpreendido com a qualidade dos néctares bairradinos. Presente na visita esteve também Astrid Lulling, deputada do Parlamento Europeu e presidente do intergrupo Viticultura e Qualidade.
O jantar de gala e encerramento desta iniciativa teve lugar no dia 23 de outubro, na Aliança Vinhos de Portugal, em Sangalhos, com visita ao museu, seguindo-se o jantar, onde foram brindados com Leitão assado da Bairrada e alguns vinhos espumantes da Aliança.
Durante a viagem, foram recebidos pelo grupo Baga Friends, grupo de produtores da Bairrada, defensores da casta Baga, bem como por outros agentes locais.

Bom para comunicar a região. Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, mostrou-se muito otimista com a visita: “São pessoas de toda a Europa e esta é uma excelente oportunidade para comunicar a região”, acreditando que este tipo de contactos será bastante proveitoso no futuro, em matéria de exportação de vinhos. “A Bairrada exporta 15% do que produz. Seria bom aumentar este número”, confirmando que o feedback do grupo estava a ser bastante positivo, até porque “são pessoas que gostam de vinhos diferentes, valorizam a diferença em relação ao que já provaram e conhecem”.

Região rica em vinhos, gastronomia e turismo. Também Jorge Sampaio, vice-presidente da autarquia anadiense e presidente da Associação Rota da Bairrada revelou, que após o contacto, começaram os preparativos para a visita e que o grupo se mostrou bastante agradado com o que visitou na região: as vinhas, os produtores e empresas, mas também o Hotel das Termas na Curia, o Palace Hotel do Bussaco, o Luso e a Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, assim como teve oportunidade de conhecer o território como destino turístico. “Trata-se de um grupo que pode levar e dar a conhecer, junto do consumidor europeu, os nossos vinhos. Conquistando os sommeliers para os vinhos Bairrada, podemos estar, no futuro, a ter mais pessoas a provar e a beber os nossos vinhos”, salientou.

Opiniões. A sommelier holandesa Corinne Gaudron, que trabalha na área do vinho, em consultoria, com restaurantes, hotéis, chefs, mas também na área da exportação, mostrou-se agradavelmente surpresa e interessada com esta região que não conhecia. “Talvez um dia venha a trabalhar com os vossos vinhos”, disse, avançando serem vinhos “muito interessantes, frescos e com uma acidez muito equilibrada”, ainda que reconheça que muitos deles precisam de uns anos na cave, para envelhecer. “São vinhos que mostram a potencialidade deste terroir e que casam muito bem com comida”, avançou também, acrescentando que os espumantes da região são bons, com relação qualidade/preço muito aliciante.
De resto, esta responsável, após a visita às Caves São João, fez uma encomenda de várias garrafas de vinho tinto do ano de 1966, prova de que esta poderá ter sido uma experiência/visita vencedora.
De igual forma, Thierry Corona, presidente da ASE, sublinharia ser uma grande emoção estar em Portugal, mas também se mostrou impressionado com a diversidade “excecional” de produtores e empresas que a região oferece, “dos pequenos produtores às grandes empresas”. É com agrado que confirma terem sido dias repletos de descobertas e surpresas, mas também na defesa das tradições e dos valores.
Na ocasião, o aveirense António Garcia, embaixador da ASE em Portugal, que ajudou a criar esta associação há uma década, revelou que este ano, ele próprio ficou incumbido de preparar a visita a Portugal. Tal como os seus pares, reconhece a arte da sedução do vinho, os valores dos produtores, a sua coragem na promoção dos seus terroirs e na produção de vinhos de grande qualidade, sobretudo nestas micro-regiões, onde muitas vezes os mais pequenos produtores são quase que abafados pelas grandes marcas.
A JB destacou a qualidade do vinho da região, as virtudes da casta Baga, que “pode vir a ser rainha”. “Foi uma descoberta fantástica, já que todos puderam provar e julgar os vários vinhos, podendo ajudar na internacionalização de alguns deles”.
De facto, o grupo encontrou no coração da Bairrada novas sensações e experiências. Por cá, visitaram os produtores que integram o grupo Baga Friends (Quinta da Vacariça, Quinta de Baixo, Quinta das Bágeiras, Sidónio Sousa, Luís Pato) mas também a adega Campolargo, Quinta do Encontro, Caves São João e as Caves Aliança.
Catarina Cerca