Luís Miguel Marques Esteves é um nome a registar na história da Adasma. Foi ele o protagonista da dádiva número 100.000 da Associação de Dadores de Sangue da Mamarrosa, dádiva esta que aconteceu no domingo, dia 22 de fevereiro, na Gafanha da Nazaré.
O dador n.º 100.000 tem 41 anos e reside na Gafanha d’Aquém. Foi a segunda vez que deu e certamente nunca mais a irá esquecer. Dirigiu-se à recolha na Gafanha da Nazaré acompanhado da esposa, Ana Maria Batista, ambos motivados pela recente necessidade de sangue de um familiar. Foram respetivamente a dádiva 100.000 e 100.001.
“Atingir a dádiva 100.000 é um grande orgulho para a Adasma e uma oportunidade para agradecer a várias gerações de dadores de sangue, verdadeiros missionários da vida, que ao longo de 32 anos partilharam connosco esta viagem solidária”, afirmou ao Jornal da Bairrada o presidente da direção da Adasma. Pedro Dias refere que, “ao mesmo tempo, é também um justo prémio para todos aqueles que fizeram parte do projeto Adasma e dispensaram o seu tempo, contribuindo para um associativismo com valor acrescentado promovendo a dádiva benévola de sangue”.
Atualmente, a Adasma organiza mais de 100 sessões de colheita anuais, nos concelhos de Oliveira do Bairro, Cantanhede, Águeda, Vagos, Ílhavo, Aveiro e Mira, que representaram em 2014 a presença de 4.201 dadores, tendo-se traduzido num total de 3.314 dádivas.
Ao dia 22 de fevereiro, a Adasma tinha 15.337 sócios e 100.059 dádivas acumuladas.

Leia a reportagem completa na edição de 26 de fevereiro de 2015 do Jornal da Bairrada