A deficiente iluminação pública em 11 lugares da freguesia de Avelãs de Cima, no concelho de Anadia, está a deixar a população revoltada.
São vários os postes, sem luz, há meses na freguesia. O lugar mais crítico é mesmo a Figueira, onde cinco postes seguidos têm as lâmpadas fundidas, deixando o centro da povoação e confluência de três ruas, na maior escuridão.
Quem reside entre a Rua Central, a Rua das Gândaras e a Rua da Quinta, sabe que, mal anoitece, o melhor é fechar a porta e ficar em casa. A escuridão é total e a falta de iluminação pública está a deixar a população com os nervos à flor da pele.
Os dias passam, as semanas sucedem-se e não há meios de voltar a ter luz na rua, desabafam.
Alguns populares descontentes com o arrastar da situação já se manifestaram, inclusive, em frente à casa de Manuel Veiga, presidente da Junta de Freguesia de Avelãs de Cima.
Ao JB, o autarca confessa já não saber o que fazer ou a quem recorrer, pois diz ter esgotado todas as formas de contacto e protesto junto da EDP. Reconhece nunca, na vida de autarca, ter assistido a uma situação como esta: “Estou de pés e mãos atados, e nunca me senti tão impotente para resolver um problema que afeta tanta gente”, lamenta, dando conta de que, desde o final do verão, existem postes sem iluminação pública não só em algumas ruas da Figueira, como também se registam casos semelhantes, embora mais pontuais, nos lugares de Cêrca/S.Pedro, Avelãs de Cima, Pereiro, Candieira, Pardieiro, Póvoa do Gago, Ferreirinhos, Boialvo, Porto Vide e Canelas.
Em todas estas povoações verificam-se falhas na iluminação pública, ou seja, postes com as lâmpadas fundidas, seja em postes seguidos ou mais espaçados.
As lâmpadas há vários meses fundidas permanecem por substituir, apesar dos insistentes contactos realizados pela autarquia junto da EDP.
“Até ao final do verão de 2014, a assistência corria muito bem. Nós fazíamos a participação das ocorrências e em 10 dias elas eram resolvidas”, recorda o autarca, sem perceber porque daquela data até hoje tudo mudou.
Com o incremento da atividade física, temos muitas pessoas na freguesia que gostam de andar a pé, à noite e que não param de reclamar, com razão, pois têm medo e receio porque as ruas estão muito escuras e com a iluminação muito deficiente.
Manuel Veiga lamenta que a “ordem” para a empresa que habitualmente faz este tipo de reparações não chegue, sendo as populações continuamente prejudicadas.
O autarca só quer que a EDP volte a ser mais célere, como no passado.

EDP explica. Ao Jornal da Bairrada, Maria Antónia Fonseca, da EDP Distribuição, revela que durante esta semana será iniciada uma ronda global por todo o concelho de Anadia, começando na freguesia de Avelãs de Cima, “contando tê-la concluído na próxima quinta-feira”, assim como dá conta de que para resolver situações como esta, com a maior brevidade, “temos vindo a reforçar as relações de proximidade com as Juntas de Freguesia, por forma a agilizar os canais de comunicação de focos avariados e outras anomalias da rede elétrica.”
A responsável explica também que as condições atmosféricas no inverno são sempre penalizadoras para o funcionamento dos equipamentos elétricos quando expostos, como é o caso da iluminação pública.
Neste sentido, avança que embora a EDP Distribuição reforce, sempre nesta época do ano, a vigilância que tem sobre as suas redes, “poderá ter havido alguma situação extraordinária (descargas atmosféricas ou outras), que já estão a averiguar, causadoras de um volume tão significativo de pontos de luz avariados”.

Catarina Cerca
catarina@jb.pt