Inspira os irmãos, os primos, os amigos e, por que não, também os nossos filhos. Falamos de Francisco Power, de 17 anos, que reside em Mogofores e é o irmão mais velho de seis.
Tem tanto de curioso, como de tímido, e acaba de vencer o concurso “Jovens Inspiradores 2015”, promovido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, na categoria dos 14 aos 17 anos.
O Francisco demonstrou sempre um enorme talento científico: desde pequeno, construía os próprios brinquedos de base eletrónica (a última invenção foi uma zarabatana com mira lazer); mas tem também uma enorme apetência para o ilusionismo, que o levou já a participar em inúmeros eventos, festas e até numa ação de voluntariado no Hospital Pediátrico de Coimbra. Além disso, é um excelente aluno – a média de 19 valores não deixa qualquer margem de dúvida. Estudou no Colégio de Famalicão, mas presentemente frequenta o 12.º ano, na Escola Básica e Secundária de Anadia. Sonha seguir engenharia mas, para já, o tempo é dividido entre a escola, a casa, onde cada um dos seus membros tem tarefas bem definidas, e as atividades de que mais gosta.
No texto enviado a concurso e que lhe valeu o primeiro prémio na sua categoria, afirma-se como um jovem “muito curioso”, que sempre “quis saber como funciona o mundo”. Adora explorar a física, a química, a matemática, a geometria, e ver o que pode fazer com os conhecimentos que vai adquirindo.

O prémio. “Depois de ouvir os outros finalistas [do “Jovens inspiradores 2015”], pensei que não tinha hipótese, por isso quando ouvi o meu nome fiquei completamente espantado. Todos mereciam o prémio.”
O segredo para conseguir tudo isto? Determinação, empenho e gosto em tudo o que faz, a que se acrescenta a particularidade de não ter telemóvel, nem facebook. “Não me fazem falta, nem me fazem perder tempo”, diz, acrescentando que “quando se gosta de uma coisa, é tudo muito fácil. Quando estou na internet ou a ver vídeos, nunca perco tempo. Estou a ver coisas sobre ciência, que me possam ajudar na escola e que depois me ajudem a minimizar o tempo que tenho que dedicar aos estudos. Mas como adoro tudo o que faço, basta saber gerir o tempo.”
Na sua categoria, foram sete os finalistas (entre os quais uma irmã de Francisco) e, na atribuição do prémio, o júri destacou “a própria família do Francisco, toda ela catalisadora da generosidade e dos talentos dos seus membros”.
E, de facto, a família do Francisco é especial. Quem colocar os olhos no blog da família (http://umafamiliacatolica.blogs.sapo.pt/), percebe por quê.
Abre a página uma breve apresentação onde se lê: “somos uma família católica, abençoada com seis filhos na Terra e um no Céu. Procuramos viver a fé com simplicidade e generosidade. Queremos partilhar com outras famílias a alegria de sermos Igreja Doméstica na grande família da Igreja Católica.”
Talvez por aqui já se perceba a razão deste jovem e da sua irmã Clara, de 14 anos, serem “inspiradores”, não só pela forma como vivem o dia a dia em família, no amor, união e partilha, mas como ocupam os tempos livres, inspirando os colegas e amigos a seguirem-lhe os passos. Uma filosofia ou forma de estar na vida que tem como alicerce esta aliança familiar. Por isso, não esconde que o facto de ter nascido no seio de uma família católica, praticante, o ajuda e lhe dá uma perspetiva diferente, moldando a sua maneira de estar e de se relacionar no mundo.
A título de curiosidade, refira-se que o pai, irlandês, chama-se Niall e trabalha na Universidade de Aveiro. A mãe, portuguesa, chama-se Teresa e é professora de inglês, em Anadia. São ambos catequistas.

Uma inspiração. Ainda que esta tenha sido a sua primeira participação num concurso, avança que só quis mostrar “como posso ser inspirador para os outros e colocar os meus talentos a render ao máximo”.
“Consegui arrancar colegas dos computadores e da televisão. Aprendi a resolver o cubo de Rubik na internet e já consegui colocar amigos meus a resolvê-lo também”. A JB confessa que, hoje, resolve o cubo em 13 segundos e que numa competição realizada este ano, em Lisboa, ficou em 8.º lugar (resolveu o cubo mágico em 18 segundos).
“Comecei a levá-lo para a escola e a ensinar e desafiar os meus amigos, mostrando-lhes que o cubo é bem mais fixe do que os jogos do PC ou telemóvel”. Uma das várias batalhas que vai travando e vencendo, pouco a pouco.
O concurso Jovens Inspiradores premeia jovens que se distingam pelos seus talentos, altruísmo, exemplo e empreendedorismo, nos respetivos segmentos etários: dos 10 aos 13 anos; dos 14 aos 17 e dos 18 aos 23.
Promovido pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, este ano em parceria com a Ticket Serviços, o concurso cumpriu a sua 4.ª edição, registando 73 candidaturas de todo o país.
O Francisco trouxe para casa um Notebook HP como prémio.
Catarina Cerca
catarina.i.cerca@jb.pt