O Conselho Municipal de Segurança reuniu uma única vez no último ano e está desfasado entre aquilo que são os problemas das pessoas e as prioridades do poder político, denunciou, na última Assembleia Municipal, o deputado do PS, Armando Humberto Pinto.
De acordo com o deputado, “o relatório do Conselho Municipal de Segurança reflete a pouca importância que a segurança tem merecido no contexto das políticas municipais”. “O Conselho reuniu uma vez, no último ano, fez uma análise dos níveis de criminalidade e avaliação dos índices de segurança do concelho, embora nada seja dito em concreto sobre isso no relatório, e nada mais”.
Armando Humberto diz que “o problema é o desfasamento entre aquilo que são os problemas das pessoas e as prioridades do poder político. E este relatório é transparente em relação a isso”. “Este relatório é o espelho da importância da temática da segurança para o executivo municipal. Nós temos um problema grave de segurança, não é, porventura, um problema à escala concelhia, mas é um problema que afeta a freguesia com mais população, a freguesia de Oiã”, afirma o socialista, acrescentando que “tem havido uma total incapacidade e vontade de colocar esta temática no mapa das prioridades das políticas municipais”. E por isso, diz que “não é de estranhar que sempre que se reúne com as pessoas de Oiã, esta seja a principal prioridade e as pessoas se interroguem como é que passado estes anos tão pouco se fez, como é que tudo continua pior do que estava. Continua porque durante este tempo todo nunca este foi um problema prioritário, para o poder político”.

Problemas da freguesia. O autarca defende ainda que “o problema da segurança é um dos principais problemas da freguesia de Oiã, onde vivem praticamente 1/3 dos nossos munícipes”. Por isso, “já deveria ter havido vontade e capacidade de colocar este assunto no centro das prioridades políticas, mas nem sequer no relatório é visível”.
Armando Humberto diz ainda que “não há uma única palavra neste relatório, elaborado pelo presidente da Câmara, para a problemática da segurança na freguesia de Oiã”. Por isso, “julgo que sobre isto estamos absolutamente esclarecidos”.
Mário João Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, disse não concordar com a intervenção do deputado socialista, argumentando que “a segurança é um dos assuntos que com mais regularidade nos envolve com as autoridades do concelho e com os presidentes de junta que são ouvidos neste processo”.