mecatronica_automovel_ipb

O Curso de Mecatrónica Automóvel é a grande novidade do Instituto Profissional da Bairrada (IPB). O IPB acaba de iniciar o ano letivo 2016/2017 com mais do dobro dos alunos dos dois anos anteriores. Ou seja, o IPB, no seu terceiro ano de funcionamento está com cerca de 50% da capacidade instalada e autorizada.
À semelhança dos outros cursos existentes no IPB, também está aprovado e será financiado. “A rede do ensino profissional aprovada pela tutela contempla a oferta do IPB. Aliás, no que respeita a autorizações e financiamentos vencemos mais um degrau, obtendo apoio favorável junto das entidades que tutelam e supervisionam a componente pedagógica e financeira”.
Nuno Santos dá ainda conta que o Curso Profissional – Técnico de Manutenção Industrial (variante eletromecânica), é outra das ofertas formativas do IPB, mantendo “firme a aposta” no Curso Profissional de Eletrónica, Automação e Comando. “Em muitos casos, a aposta em áreas de maior inovação e desenvolvimento de competências técnicas é penalizada pelos elevados investimentos requeridos por estas formações, quer em instalações, equipamentos e consumíveis, e pela dificuldade em contratar técnicos especializados – o IPB vai procurar continuar a contrariar esta tendência, incrementando o investimento, e efetuando as aquisições necessárias, sobretudo ao nível dos equipamentos”, acrescenta Nuno Santos.

Procura. Nuno Santos, que é diretor do IPB, desde o primeiro ano, diz que a procura tem aumentado e que “os números são animadores”. Contudo, defende que “o importante é manter o percurso de trabalho e coerência, colocando diariamente ao serviço dos alunos, das famílias e das empresas a concretização de um projeto complementar a toda a rede de ensino existente na região”. “É necessário fazer bem, fazer diferente, executar! – para isso, muitas vezes é preciso mudar – nós estamos a fazer a nossa parte”, sublinha.
Relativamente à proveniência dos alunos, o IPB recebe jovens de sete municípios, com preponderância do concelho de Oliveira do Bairro. “Este é um indicador muito interessante – do ponto de vista da formação técnica/tecnológica, cada vez mais a região olha para o IPB como uma solução coerente e credível – o que é excelente e assumido por toda a equipa de trabalho como uma boa responsabilidade”, afirma.
Relativamente à construção das residências, Nuno Santos dá conta que “o processo está em andamento e em fase final de análise de projetos, numa primeira fase arquitetura e em seguida projetos de especialidades”. “Como é óbvio, a construção efetiva do edifício requererá um esforço financeiro considerável, mas que permitirá outras respostas em várias áreas que são estratégicas para a Fundação Comendador Almeida Roque e para o IPB”.

Escola modelo. Nuno Santos diz ainda que “o IPB enquanto primeira Escola Profissional de Referência Empresarial do País está a implementar um modelo de ensino numa região, com elevado potencial industrial, em que se impunha reforçar de forma inovadora e diferenciadora a formação do aluno, num contexto de boas práticas de trabalho”. “Conhecemos a região, conhecemos os restantes projetos de ensino profissional existentes, mas, desde o primeiro momento, estamos focados e absolutamente concentrados no IPB. Podemos e devemos falar do nosso projeto, da forma como o implementamos, mostrando a todos sem exceção a forma como o concretizamos, procurando envolver, dialogar, trabalhar de forma competitiva, rigorosa e continuada – este é o caminho – só pode trazer bons resultados”, termina.