reuniao_cm_oliveira_do_bairro

O CDS/PP votou contra a atribuição de um apoio de 12.500 euros ao novo Clube de Ginástica de Oliveira do Bairro. Este Clube de Ginástica, com sede no Pavilhão dos Atómicos, foi fundado por elementos que estavam ligados ao Clube de Ginástica do IPSB. Os atletas são também, na sua maioria, provenientes do antigo clube de Ginástica do IPSB.
O valor pedido para a aquisição de material de ginástica mereceu o voto contra dos dois deputados do CDS/PP, Jorge Pato e Lília Ana Águas e ainda o voto contra do deputado independente Paulo Caiado.
O vereador António Mota, apesar de ter votado favoravelmente, também criticou o apoio, sublinhado que “a câmara municipal é a principal desagregadora do IPSB”.
O presidente da autarquia Mário João Oliveira explicou que não se trata de um apoio corrente, nem de atividade, mas com o objetivo de ajudar a associação na aquisição de material, uma vez que necessitam de fazer um investimento de 15 mil euros.
Jorge Pato explica que veio ver a documentação para a reunião de Câmara, e neste ponto, “vim ver aquilo que não queria ver, mas que já suspeitava”. “Há algumas semanas fui surpreendido com o pedido de restituição de equipamentos de ginástica que eram da Câmara e que estavam o IPSB e nesse dia foi feita a constituição do Clube de Ginástica”, explicou Jorge Pato, sublinhando que “há coisas com que me sinto triste. No pedido de apoio efetuado pelo clube, formado há um mês, é dito que o clube tem provas dadas e que é o único existente no concelho”. “Acho que esta proposta é uma demonstração cabal que este executivo tem uma preocupação nula com ao IPSB”, afirmou Jorge Pato, sublinhando que “é mais uma machadada e uma demonstração que quele problema é menor”.
O presidente, Mário João Oliveira, disse não concordar com a argumentação do vereador Jorge Pato, afirmando que “a análise é transversal para todas as associações. Não é por nascerem associações que a Câmara não apoia”, pelo que “não aceito que diga que é uma machadada. Apoiamos o IPSB em que tudo o que a lei permitir”. “A minha preocupação é no sentido de dotar a associação com os meios necessários para permitir a prática a estes atletas, porque eles decidiram deixar de estar no IPSB”, defendeu Mário João Oliveira, afirmando ainda que “é necessário ter igualdade entre as associações”.
O autarca deu ainda como exemplo o karaté, que também deixou o IPSB.
Já o vereador António Mota disse não fazer muitos comentários, contudo “acho estranho que estas pessoas ligadas à ginástica do IPSB mudem, o que nos ajuda a conhecer as pessoas”.  “Muita tinta tem corrido nesta iniciativa e consta-se que a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro é a principal promotora desta desagregação”, reforçou António Mota, dando conta que “a forma como está a acontecer é demasiado grave”.
Mário João Oliveira não gostou de ouvir as afirmações de António Mota, deixando claro que “se querem referir alguma coisa, venham cá e perguntem”.
O deputado independente Paulo Caiado disse concordar com Jorge Pato, votando contra.