A Câmara da Mealhada decidiu, esta segunda-feira, dia 28, em reunião extraordinária do Executivo Municipal, o abate de uma tília de grande porte localizada na Rua Emídio Navarro, na vila termal de Luso, junto à Fonte de São João. A decisão, unânime, que mereceu também a concordância do presidente da Junta de Freguesia de Luso, foi tomada após o relatório técnico que aconselhava o abate.

O relatório técnico feito à árvore por especialistas não deixa grandes dúvidas. Após os testes, verificou-se que “a degradação da madeira do tronco é tão extensa e as cavidades de tão grande dimensão que fica claro que o potencial de rutura deste exemplar é muito alto, nas suas atuais condições”. Francisco Coimbra, da empresa Árvores e Pessoas, defendeu o abate da árvore, apesar de ainda ter equacionado a poda radical, que deixaria apenas a árvore “numa caricatura do que é”. “(…) Parece ser a atitude mais prudente e avisada proceder ao seu abate, atendendo às suas grandes dimensões e ao facto de estar implantada numa zona de presença frequente de pessoas e automóveis”, refere o documento.

“Hoje, a minha opinião é o abate. Em 2015 não foi, mas hoje é. O risco é grande”, sintetizou, explicando que a tília, apesar de parecer saudável na copa, não está na base. “Ela parece saudável, mas a base está em acelerado apodrecimento”, sublinhou o especialista Francisco Coimbra.

A árvore foi objeto de uma poda de segurança em 2005 e voltou a ser podada em 2015, após a queda de uma pernada, tendo na altura sido o entendimento dos especialistas que ainda seria possível mantê-la. Em maio deste ano caiu nova pernada, que representa 1/4 da árvore, e foi, desde logo, pedida esta avaliação técnica para aferir do estado da tília.

Perante as explicações de Francisco Coimbra, o presidente da Junta de Freguesia do Luso, Claudemiro Semedo, sublinhou que “a perda da árvore é enorme para o Luso, mas acima de tudo deve estar a segurança das pessoas”, pelo que o abate é a solução mais adequada.

Igual entendimento tiveram todos os membros do Executivo Municipal que decidiram o abate, dando primazia à segurança de pessoas e bens. Até porque a árvore está num local de passagem frequente, numa das principais artérias do Luso e de acesso à movimentada Fonte de São João.

O abate será efetuado quarta-feira, dia 30.