A ADREP conquistou um total de 5 medalhas nos campeonatos nacionais de veteranos, disputados no passado fim de semana, no ExpoCentro de Pombal. A estreante Edna Neves, a competir no escalão F35, foi a atleta da Palhaça em maior evidência, sagrando-se campeã nacional na prova de 1500m com um recorde pessoal absoluto de 5,10 minutos. Na segunda jornada, Edna Neves voltaria à pista para se sagrar vice-campeã nacional na prova de 3000m, com um registo de 11,25 minutos.
A experiente Sandra Leitão também subiu ao pódio na posição prata, com a marchadora da ADREP a sagrar-se vice-campeã nacional na prova de 3000m marcha, no escalão de F40, com a marca de 16,04 minutos. Jorge Santos, a competir no escalão M50, estreou-se com a camisola da ADREP em competições nacionais, com a conquista da medalha de bronze na prova de 60m, com o tempo de 8,15 segundos. O atleta palhacense ficou ainda muito perto do pódio nas restantes 3 provas em que participou, sendo 4.º classificado nos 400m, com um novo recorde pessoal de 59,16 segundos e nos 200m, com a marca de 27,43 segundos, terminando ainda na 5.ª posição a prova de salto em comprimento, com um registo de 4,41 metros.
Hélder Rodrigues, apesar dos largos anos de prática da modalidade, realizou a sua estreia em campeonatos nacionais de pista coberta, conquistando a medalha de bronze na prova de 3000m, no escalão de M65, com a marca de 13,06 minutos, precisamente no dia em que completou 66 primaveras. Na véspera, havia terminado próximo do pódio na prova de 1500m, sendo 4.º classificado com 6,37 minutos.
Leandro Ramos. O jovem lançador Leandro Ramos realizou, no passado domingo, a sua estreia pela Seleção Nacional de Esperanças, na Taça da Europa de Lançamentos, competição que reuniu em Leiria alguns dos melhores lançadores europeus da atualidade, nas diversas disciplinas deste setor do atletismo. O jovem natural de Bustos, ainda a cumprir a 1.ª época de júnior, terminou na 10.ª posição a prova de lançamento do dardo, com o registo de 68,80 metros, numa competição em que as condições atmosféricas, na maioria das provas, prejudicaram a obtenção de resultados qualitativamente superiores.