Duas semanas depois de ter sido arredado de maior protagonismo na ronda de abertura do campeonato nacional de Supercross, Hugo Basaúla conseguiu, no último sábado, na Poutena, uma noite perfeita que o levou não apenas à desejada vitória mas igualmente ao perseguido primeiro lugar do campeonato nacional.
Pela 39.ª vez a localidade da Poutena, uma das mais conhecidas e com mais tradição e história na disciplina em Portugal, recebeu uma prova elegível para o campeonato nacional e com a ausência de Paulo Alberto, que venceu a ronda de arranque, por estar em mais uma etapa do campeonato brasileiro a liderança do campeonato estava em aberto para ser discutida entre os restantes pilotos do pelotão luso.
Um pelotão que surgiu reforçado com a presença do britânico Adam Chatfield, que já em 2017 tínhamos visto aquando da prova realizada em Fafe e que traz sempre rapidez para poder discutir o protagonismo em qualquer prova como ficou claro logo nas voltas rápidas (Red Bull Flying Laps) quando ficou a pouco mais de sete décimas de Basaúla, o mais rápido nesse duelo realizado no Crossódromo do Areeiro – Nelson Alves.
Embalado pela vitória conseguida na semana anterior numa das provas do campeonato espanhol de Supercross, o campeão nacional dominou por completo a noite da Poutena vencendo desde as Flying Laps até ao fecho da jornada onde liderou todas as voltas de ambas as corridas para garantir a pontuação máxima e a subida ao topo da classificação do campeonato. Uma vitória que confirma a sua candidatura ao ceptro antes das derradeiras duas rondas do ano, rumando a Fafe com 12 pontos de vantagem sobre Diogo Graça e 22 para Renato Silva.
Diogo Graça esteve em excelente plano rumo à vitória na primeira corrida SX2 e depois de ter estado igualmente em Espanha para vencer em SX2. Vitorioso na primeira ronda, perdeu no entanto o degrau intermédio de pódio na derradeira volta da primeira final quando viu a corrente de transmissão da sua moto ceder, impedindo-o de ser igualmente primeiro na classe. Aproveitou Adam Chatfield, a recuperar desde o sexto posto na primeira das 16 voltas realizadas e levando consigo para o pódio Ricardo Freire, o melhor em SX2 na frente de André Sérgio e Diogo Graça.
Na segunda corrida foi Renato Silva quem primeiro seguiu Basaúla, posição que perdeu na quarta volta para Chatfield. Lá na frente, Basaúla tinha de novo o ritmo para assegurar mais uma vitória, Chatfield estava em segundo e Diogo Graça tentava esquecer o desaire da primeira corrida ao subir ao terceiro posto na sexta volta para subir de novo ao pódio, agora na frente de Ricardo Freire – que somou os pontos necessários para se tornar no 19.º piloto a vencer a classe SX2 sob a égide da Federação de Motociclismo de Portugal – e Renato Silva.
Uma grande noite de Supercross, com forte adesão popular e que viu igualmente Fábio Costa e Rúben Ferreira dividirem as vitórias nos Iniciados – Costa não pontuou na segunda manga e Ferreira venceu a geral – Sandro Lobo venceu de novo ambas as mangas em Infantis B para manter a invencibilidade na classe e Leonardo Gaio e Duarte Pinto foram os melhores em Infantis A, subindo Pinto ao degrau mais alto do pódio.
A próxima prova do campeonato leva a caravana até à cidade de Fafe, já na noite do próximo sábado.
Fonte: FMP