O Sangalhos Desporto Clube apresentou, em conferência de Imprensa, no passado sábado, a equipa sénior A, que irá competir no Campeonato Nacional da 1.ª Divisão, uma vez mais patrocinada pela ABTF Betão, do Grupo Tavares, assim como as restantes equipas que vão participar nas provas nacionais e distritais.
A ambição é grande, a equipa principal, com cinco reforços estrangeiros, é a joia de coroa do clube, cujos responsáveis apostam as fichas todos, no regresso à Proliga e a conquista do título nacional, que foge ao clube há 17 anos.
Jorge Sampaio, vice-presidente da Câmara Municipal de Anadia, deixou um repto aos dirigentes sangalhanenses, de avançarem com o tão almejado Museu do Sangalhos Desporto Clube (SDC).
 
Mais qualidade. Todas as equipas foram apresentadas, tendo como pano de fundo a Estalagem de Sangalhos, local onde a direção deu a conhecer os objetivos para a próxima época.
“O SDC aposta em critérios rigorosos e estreitos”, no que diz respeito ao quadro técnico, tendo à frente dos diversos grupos dos escalões de formação “pessoas capazes e de qualidade para tornar o SDC mais forte e competitivo”, afiançou Jorge Ribeiro, presidente do clube.
O líder sangalhense desejou uma excelente época a todas as equipas e, segundo afirmou, “cada uma tem as suas ambições, lute ou não por títulos, é importante a evolução pessoal e integração na sociedade dos jovens atletas, o Sangalhos tem feito isso ao longo dos anos”.
Relativamente à equipa principal, Jorge Ribeiro considerou que “o clube criou condições, a equipa está mais competitiva em comparação com os anos anteriores”, dando ênfase à entrada de cinco atletas estrangeiros no plantel. “A vinda destes atletas só foi possível graças à parceria estabelecida com o Grupo Sunlive Sports e à sua Academia de Basquetebol. Sem esta realidade e este apoio, o SDC não tinha hipóteses. Esta parceria tem pernas para andar, assim como o Grupo Tavares/ABTF Betão, que esta época reforçou o seu apoio à equipa principal. Agradecemos ao nosso patrocinador, os clubes vivem deste tipo de ajudas para termos uma equipa competitiva.”
Depois, Jorge Ribeiro confidenciou o seu sonho: “Pessoalmente, tenho uma grande convicção em que o SDC volte a conquistar um título com a sua equipa sénior. Há condições para alcançar esse título este ano.”
 
Ambição. Pelo mesmo diapasão falou Emanuel Seco. O treinador da equipa principal deu conta que o plantel “sofreu uma remodelação bastante grande”, em relação à temporada passada, onde “alguns jogadores, que foram campeões há 17 anos, deixaram a equipa”.
“Temos uma equipa mais jovem, há três estrangeiros que têm apenas 18 anos, mas que já demonstraram que têm muita vontade em trabalhar, conhecer Sangalhos e integrarem-se na comunidade, e ajudar a dignificar a camisola do SDC”, anotou o técnico sangalhense.
Emanuel Seco disse que “a equipa tem objetivos muito ambiciosos, a zona norte é muito competitiva, não vai ser fácil, mas com sacrifício e muito trabalho vamos colocar o SDC no lugar que merece”. E sem se deter, disse quais os objetivos: “O primeiro objetivo é colocar de novo o SDC na Proliga; depois lutar por um título nacional que não se consegue há 17 anos”, deixando a promessa de que “com trabalho, atitude, determinação e humildade podemos atingir esse objetivo. Acredito que vamos ter um grupo forte a vários níveis e uma grande família dentro de campo”.
Lucas Gonzalez, admistrador da Estalagem de Sangalhos e do Grupo Sunlive, deixou o seu agradecimento à Câmara Municipal de Anadia e ao SDC, “por acreditarem no nosso projeto, de crescer connosco”, desejando as maiores felicidades ao clube.
Já Fátima Tavares, do Grupo Tavares, testemunhou o reforço do apoio da ABTF Betão à equipa principal, e desejou excelente época. “Será bom para vocês e para nós também”.
 
Repto. Jorge Sampaio deixou uma palavra à direção do SDC pelo trabalho que tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos, mostrando também o orgulho por estar mais uma vez presente numa cerimónia do clube, ele que nasceu em Sangalhos. “Este é um sinal de vida, de enfrentar mais um ano de trabalho, ver tantos jovens é sempre um motivo de orgulho”.
O vice-presidente da Câmara Municipal de Anadia, há 17 anos na autarquia, referiu que “o SDC, à semelhança de outros clubes do concelho, foi passando por várias fases, soube evoluir e trabalhar bem a pensar no futuro, foi capaz de organizar a casa. Criou condições, como a construção do segundo pavilhão, poucos clubes no país têm estas condições para trabalhar na formação, esta é a grande escola e o SDC sempre fez isto de uma forma exemplar e formando excelentes dirigentes desportivos de Sangalhos”.
Jorge Sampaio avançou que o SDC está a entrar numa nova fase da sua vida, por isso, lançou um repto: “É um grande desafio para os próximos anos, respeitar a história do SDC. Chegou a hora de o SDC pegar no seu espólio e torná-lo visível”, referindo-se à necessidade de avançar com a criação do Museu do Sangalhos Desporto Clube. “É hora de planear o Museu e escolher os parceiros com quem vai trabalhar para termos visível toda a história do clube a toda a comunidade.”