A União Filarmónica do Troviscal (UFT), depois de um ano de “indefinição” quanto a apoios e investimentos, juntou músicos, familiares e amigos para celebrar os seus 29 anos, reunindo perto de 400 pessoas no passado domingo, na Assembleia Republicana do Troviscal.

Apesar do clima de festa e das muitas razões que a banda tem para celebrar, a presidente da UFT, Rosalina Filipe, não quis deixar de acentuar essa mesma “indefinição” a que foi sujeito o trabalho da direção num ano “muito difícil”, começando por referir-se à introdução da Câmara do regulamento de apoio às associações. “Foi um ano razoável, mas com muita insegurança, porque chegámos a agosto sem saber o que contar”, disse, recordando que “o atraso nas obras” da Câmara na antiga escola primária, onde funciona a sede, “trouxe também muita indefinição à nossa escola de música”.

Leia a reportagem completa na edição de 13 de dezembro do Jornal da Bairrada.