Está aprovado por maioria, o Orçamento para 2019 com a anunciada abstenção dos deputados do PS e do voto contra do CDS. Considerado, pelo presidente da câmara, Silvério Regalado, “ambicioso, amigo do investimento, das famílias e do desenvolvimento do concelho de Vagos”, o Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos para 2019 passaram no órgão deliberativo. No valor global de 22 milhões de euros, o documento reflete o trabalho desenvolvido “na construção do Plano Estratégico do Município de Vagos” que, segundo o edil vaguense, “acabou por conciliar” com os fundos disponíveis no Portugal 2020.
Um aumento significativo de verbas, que permitiu, por exemplo, as candidaturas para a requalificação do Palacete Visconde de Valdemouro e dos Escuteiros de Ponte de Vagos. Obras que, tendo já financiamento comunitário assegurado, “estão a ser trabalhadas”, anunciou Silvério Regalado, no decorrer da apresentação do documento.
Quanto à despesa, destaque para o aumento de 2,2 milhões de euros do Plano Plurianual de Investimentos (PPI). Prioridade para as apostas nas “funções económicas do município”, como sejam as obras que vão surgir na Parcela B do Parque Empresarial de Soza (PES), requalificação da Zona Industrial de Vagos (ZIV), e a ligação A17 – ZIV – A25, entre outras.

 

Ler mais na edição impressa ou digital