O festival celta Beltane arranca para a 4.ª edição, de 14 a 16 de junho, com o maior orçamento até à data, 20 mil euros, e numa perspetiva de trazer cada vez mais gente a Perrães, a Oiã e ao Município de Oliveira do Bairro. Organizado, mais uma vez, pela Amper – Associação dos Amigos de Perrães, o Beltane sai também, pela primeira vez, das fronteiras nacionais, e internacionaliza-se com os espanhóis Oscar Ibánez e Tribo.
O presidente da Amper, Luís Rabaça, considera que esta é uma edição “muito desafiante em muitos aspetos”, começando desde logo pelo desafio feito à banda jovem da Amper, os Butchers Brass Band, que “terá nas mãos e no sopro a capacidade de em cada uma das noites encantar para o que se segue”.
Um dos momentos que se aguarda com maior expectativa é aquele que vai juntar em palco, no dia de abertura, “a melhor banda da região no género – os Polk – com uma centena de crianças do nosso Conservatório de Música da Bairrada”. Nessa mesma noite, os visitantes do festival, que decorre no Parque do Carreiro Velho, poderão ainda ouvir aquela que muitos consideram a melhor banda do País – os Galandum Galundaina – num cenário nunca antes experimentado.
O dirigente da Amper acredita que esta iniciativa se enquadra num caminho que responde à necessidade de “reencontrarmos tradições, raízes, e de apoiar as aldeias esquecidas do nosso país”.

Bater recorde de visitantes

Uma das metas para este ano é bater o recorde de visitantes, num festival que, desde a primeira edição, permanece com a vertente social bem vincada, uma vez que as receitas de bilheteira reverterão para as apostas sociais da Amper. “Partimos para esta edição com a motivação redobrada e o melhor cartaz de sempre, naquela que queremos que seja a melhor edição de sempre. Esperamos que quem nos visite leva a vontade de voltar”, frisa o presidente da instituição. Chegar a cada vez mais gente é claramente um dos objetivos, no entanto, isso “obriga a uma máquina de comunicação e divulgação mais afinada, e esta é uma «tecla» que ainda não está a tocar na perfeição”, admite Luís Rabaça.

Parceiros e voluntariado

Nos apoios institucionais continuam a constar a Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, a Junta de Freguesia de Oiã e a CIRA – Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro; o Beltane conta ainda com o apoio do Jornal da Bairrada, Audio Marques, Hegisantos, Sacoplex, Residencial Estância e, este ano, do Conservatório de Música da Bairrada.
Por detrás de toda a “máquina” está “o trabalho gigante de uma equipa cada vez maior e que muitas das vezes nem sequer se chega a ver, pois poucos imaginarão o trabalho que temos tido, numa equipa de voluntários ímpar”.