O PSD de Oliveira do Bairro, em comunicado,  “exige” à presidente do CDS/PP, Assunção Cristas, uma tomada de posição sobre a acusação, conhecida nos últimos dias, contra 17 autarcas, maioritariamente do partido, em Oliveira do Bairro.

Nesta missiva, os social democratas oliveirenses exigem a reação da líder nacional do CDS/PP, por entenderem “ser inadmissível o silêncio a que se remeteu quando, em momentos anteriores, por factos sem acusação do Ministério Público, exigiu a demissão de outros governantes”. 

Por tal, o PSD insiste que Assunção Cristas “deve esclarecer, de forma clara, se concorda com o posicionamento do seu partido em Oliveira do Bairro ou se entende se o senhor presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro e o senhor  presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Bairro devem suspender os seus mandatos de imediato e até ao final do processo judicial em curso”.

A concelhia do PSD lembra, no mesmo comunicado, que além do presidente da Câmara e da Assembleia, dos 17 autarcas acusados encontra-se o presidente da Distrital de Aveiro do CDS/PP, Jorge Pato, e o presidente da Concelhia de Oliveira do Bairro do CDS/PP, André Chambel. “Assim, não estranhamos que a distrital de Aveiro e a concelhia do CDS/PP de Oliveira do Bairro não tome qualquer posição uma vez que é óbvio o seu comprometimento”.

No entanto – continua o PSD – “já não se compreende, de todo, que o presidente da concelhia do CDS/PP, André Chambel, seja chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal e, em simultâneo líder da bancada do CDS/PP da Assembleia Municipal. Mais grave, este, na qualidade executiva de chefe de gabinete participa na elaboração e execução de projetos, inclusivé, assinando documentação que, posteriormente em Assembleia Municipal, fiscaliza e vota os mesmos documentos que assina na qualidade executiva”.

Leia mais na edição do Jornal da Bairrada de 25 de julho.