A Câmara Municipal de Anadia aprovou, em reunião extraordinária de executivo, no passado dia 30 de outubro, a proposta do Orçamento e as Grandes Opções do Plano para 2020 no valor de 20.854.600 euros. O documento foi aprovado por maioria com o voto contra do vereador Litério Marques, do PSD. A vereadora Anabela Melo, também do PSD, não esteve presente nesta reunião.
 
Orçamento
mais curto
O Orçamento para 2020 apresenta uma redução de 6,85%, face ao ano 2019. Ao nível da receita, esta diminuição reflete-se essencialmente nas transferências correntes, nas vendas de bens e serviços correntes, nas vendas de bens de investimento e nas transferências de capital, verificando-se um decréscimo tanto das receitas correntes como das receitas de capital.
Ordenamento do Território (26,91%), Serviços Auxiliares de Ensino (9,01%), Cultura (7.03%), Transportes Rodoviários (7,01%), Abastecimento de Água (5,91%), Transferência entre Administrações (5,72%), Ensino não Superior (5,41%) e Turismo (5,19%), são as áreas que absorvem a maior fatia do orçamento.
 
Reabilitação urbana
com destaque
Quanto às Grandes Opções do Plano (GOP) para 2020, no que respeita ao Ordenamento do Território, a prioridade assenta na reabilitação urbana, com destaque para a conclusão do Parque Urbano de Anadia, bem como as requalificações da Quinta do Rangel em Ancas, da EM334 desde o IC2/Variante EN235 em Famalicão e a Rua do Comércio em Sangalhos.
Educação e Saúde
Na área da Educação, o maior investimento prende-se com a requalificação da EB1 de Mogofores, cuja empreitada deverá ficar concluída no decorrer no primeiro semestre de 2020, por forma a que possa receber os alunos no próximo ano letivo.
Na Saúde, o Município prevê o estabelecimento de um protocolo de parceria com a ARS Centro para que possa avançar com a execução de pequenas obras no Centro de Saúde de Anadia a expensas próprias, permitindo assim o acesso à saúde com maior qualidade e conforto.
 
Ler mais na edição impressa ou digital