Já é possível almoçar ou jantar fora. Com os restaurantes em desconfinamento, uns depois de uma paragem forçada e outros que foram alimentando o negócio em regime de take-away, o certo é que todos querem voltar rapidamente à atividade. Reconquistar os clientes, muito para além do estômago e do palato, é o desafio da restauração, que se viu obrigada a usar a proteção como tempero para servir segurança.

A restauração vive dias de incerteza mas a ânsia de voltar às rotinas é enorme, quer por parte de quem trabalha no setor, quer os clientes, que precisam destes sinais de desconfinamento para retomar as suas vidas. A essa ansiedade junta-se o medo e mistura-se a necessidade de voltar ao trabalho, de rumar contra tudo aquilo que fez paralisar o mundo por largas e intermináveis semanas.

Se bem que o take-away atalhou em alguns casos na questão financeira dos empresários do setor e na possibilidade de uma refeição diferente para quem esteve em isolamento, o certo é que nunca mais ninguém almoçou ou jantou fora, num desejado convívio que a pandemia foi adiando.

Esta semana fomos conhecer esta realidade junto de alguns restaurantes da Bairrada. Pode ler a reportagem completa na edição impressa de 28 de maio ou leia já aqui.