A Pateira passou a dispor de um conjunto de equipamentos de náutica de lazer para fruição da lagoa. Entre as atividades que agora se podem realizar, em Óis da Ribeira, estão stand up paddling, andar com gaivota, Kayak ou water bikes. Tudo em resultado de mais um projeto do Orçamento Participativo de Águeda (OP)

Este foi um dos projetos mais votados no âmbito do OP e a sua concretização foi possível através de um acordo de cooperação com a União de Freguesias (UF) de Travassô e Óis da Ribeira. O projeto, proposto por um grupo de cidadãos, pretende que a oferta de soluções de náutica de lazer se estenda a pessoas com deficiência motora e intelectual, permitindo que todos, de uma forma inclusiva, possam desfrutar da Pateira.

No momento da entrega, Jorge Almeida, presidente da Câmara de Águeda, salientou que a autarquia está a fazer “todos os esforços para concretizar todos os projetos vencedores do OP” e este, na Pateira, tem “um sabor especial”. Isto porque, com as atividades náuticas de lazer, é dada vida à Pateira e as pessoas usufruem “desta maravilha da natureza que temos aqui”.

“Esta é mais uma razão para virmos até à Pateira, mais um motivo para as pessoas ficarem aqui mais tempo, porque podem entrar em segurança na Pateira e gozar estes equipamentos, estando em contato muito próximo com a água”, concluiu o edil.

Para além desta ação em concreto, com as atividades de fruição da lagoa, a Câmara de Águeda tem apostado nos percursos pedestres. Edson Santos, vice-presidente da Câmara de Águeda, também presente no momento da entrega deste projeto do OP à comunidade, salientou a intenção da autarquia de proceder ao alargamento dos passadiços. “A par da requalificação destes, vamos aumentar os passadiços, mas precisamos da colaboração dos proprietários de alguns terrenos”, referiu Edson Santos, defendendo que a Pateira “não nos separa, une-nos”.

Projeto envolveu grupo de cidadãos locais

Este projecto partiu de um grupo de pessoas ligadas à Pateira e aos desportos náuticos, com o objectivo de desenvolverem um projecto de forma a proporcionar às pessoas a possibilidade de usufruírem da lagoa natural. Um dos proponentes, António Brinco, manifestou a alegria pela concretização de um sonho, que “demorou bastante tempo a pôr em prática, devido a todas as suas especificidades”. Trata-se de um projeto que permite “divulgar a Pateira e os seus encantos” e sem o qual “não havia condições para as pessoas se fixarem; agora têm atividades para fazer enquanto aqui estão”, disse.

“É um projeto abrangente, integrador e amigo do ambiente, mas que tem de ser auto-sustentável”, declarou o proponente, afirmando que as atividades terão de ser pagas pelos utilizadores, garantindo meios não só para a manutenção mas também para o acompanhamento das atividades por parte de monitores credenciados.

No âmbito do protocolo, assinado formalmente ontem, a Câmara de Águeda cede os equipamentos associados à náutica de lazer, que serão geridos pela UF com vista à utilização pelo público em geral. A UF, para além de disponibilizar os equipamentos e materiais para as atividades na Pateira, trata do armazenamento, manutenção e conservação desses equipamentos, bem como garante monitores para a dinamização das atividades e acompanhamento dos utilizadores.

Entre os equipamentos cedido para a realização de atividades náuticas estão kayaks duplos sit on top, pranchas de stand up paddling, gaivotas, water bikes, coletes salva-vidas e um atrelado para transporte do material.

Paulo Pires, em representação da UF de Travassô e Óis da Ribeira, declarou que “este grupo de proponentes fez a diferença quando se uniu para criar esta proposta”, que permite “promover a Pateira de uma forma equilibrada”.