Seis meses passaram desde que o Campeonato de Portugal foi interrompido e, posteriormente, dado como terminado, por causa da Covid-19. Esta situação trouxe problemas acrescidos aos clubes, desportiva e financeiramente. E para a nova época, na segunda vertente, os problemas vão continuar sem adeptos nos estádios e outro tipo de receitas.


Há clubes que investiram em SADs, caso do Anadia FC e o Recreio de Águeda uma parceria desportiva, que abrange jogadores, mas acreditamos também apoio financeiro. Esta será uma época de viragem e os mais bem preparados é que terão mais probabilidades de estarem na linha da frente.
Esta temporada, o Campeonato de Portugal foi reestruturado e vai contar com oito séries de 12 clubes cada, num total de 96 participantes.
No final da fase regular, que conta com 22 jornadas, os primeiros classificados de cada série vão disputar a fase de subida à 2ª Liga. As oito equipas são divididas em dois grupos e os vencedores de cada série sobem à liga profissional. Os restantes seis emblemas sobem à 3.ª Liga, a nova competição da FPF para 2021/2022.

A essas seis juntam-se mais 32 participantes, definidos ainda na primeira fase do Campeonato de Portugal. Trata-se de todos os segundos, terceiros, quartos e quintos classificados das oito séries. Descem aos distritais os últimos quatro classificados de cada série.


A Série D conta com sete equipas do distrito de Aveiro, entre elas o Anadia e o Águeda. Os Trevos, com um plantel totalmente renovado, iniciam a sua caminhada em Ovar, casa emprestada do Sp. Espinho, no primeiro de muitos dérbis aveirenses. Os Tigres da Costa Verde são um dos principais candidatos à subida de divisão, já na última época lutaram (ficaram em 3.º lugar) pelo mesmo desiderato. O Sp. Espinho é uma das equipas que mais adeptos leva aos estádios. Para já isso não será possível e haverá jogos que mais parecem que serão jogados em campo neutro. O Anadia pretende lutar também pelos lugares cimeiros. Prevê-se um jogo equilibrado.

O Águeda também joga fora, na casa do estreante Vila Cortez, que ficou em 3.º lugar na Divisão de Honra da Associação de Futebol da Guarda, e aproveitou o facto de Sp. Meda e Manteigas terem renunciado à subida. O clube pertence a uma freguesia que tem cerca de 300 habitantes, sendo do interior e sem experiência nestas andanças, vai ter muitas dificuldades. Os Galos são favoritos.