Assinar


Luso // Mealhada // Sociedade  

Câmara ausculta população do Luso sobre antigo Teatro Avenida

“Julgamos que é importante ouvir a população e sentir as expectativas das pessoas para um espaço que marcou muitas gerações”, justifica o presidente da Câmara.

A Câmara Municipal da Mealhada está a auscultar a população do Luso acerca do antigo Teatro Avenida. O projeto de reabilitação foi adjudicado ao gabinete Cidade Branco Arquitectos e inclui uma auscultação no sentido de saber que memórias as pessoas têm daquele local, bem como o que ali desejariam ter no futuro.

O Executivo Municipal, liderado por António Jorge Franco, tem já traçadas as características genéricas para este edifício que, à partida, será um espaço polivalente, Centro de Interpretação Ambiental, muito voltado para o Bussaco, mas também casa de artes e de desporto. Estando em fase de projeto, é possível ainda acolher as sugestões mais prementes da população. “Julgamos que é importante ouvir a população e sentir as expectativas das pessoas para um espaço que marcou muitas gerações. O projeto tem amplitude suficiente para várias áreas, do ambiente, ao desporto e à cultura. O que procuramos é reabilitar o cineteatro num espaço que faça sentido, aos dias de hoje, à população residente e a quem visita o Luso”, explica António Jorge Franco, presidente da Câmara Municipal da Mealhada.

As datas de celebração marcam as memórias das pessoas. Festas, “bailes de Natal e de Páscoa eram grandes acontecimentos no Luso”, asseguram muitos dos entrevistados, referindo também o cinema na época de verão. Para o novo espaço, apontam o cinema, a música, a arte e as exposições como potenciais atividades a desenvolver, bem como as relacionadas com o Bussaco e com a região. “Que seja uma casa aberta aos jovens”, referiram Teresa Várzeas e Margarida Gonçalves.

“A nossa intenção é reabilitar o edifício conservando ao máximo o que se pode conservar. Este contacto com a população ajuda-nos a ir para esse tempo, a criar uma ligação, a ter maior proximidade na conceção do projeto, tendo em conta os aspetos marcantes que nos vão sendo transmitidos”, explica Mariana Cidade, do gabinete Cidade Branco Arquitectos.

O Projeto de Execução preconiza a reabilitação do edifício e de todo o espaço exterior envolvente, incluindo as escadas confinantes, que constituem a porta de entrada da Mata Nacional do Bussaco.