Estaladiços graças à finíssima base de massa-folhada, são recheados com ovos-moles e polvilhados com açúcar pilé, o que lhes confere um sabor inesquecível. Falamos dos “Amores da Curia” que, com um século de vida, renascem, agora, pela mão da Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada, em parceria com a ACIB (Associação Comercial e Industrial da Bairrada) e Entidade Turismo do Centro Portugal.
Respeitando a receita original mas dando-lhe um novo visual em forma de coração, a Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada promove, em parceria com a ACIB, no próximo dia 15 (quinta-feira), no Palace Hotel da Curia, um workshop sobre este doce desconhecido da maioria dos bairradinos.
Designado por “Renascer”, o workshop desafia os chefes de restauração, pastelaria e hotelaria da região a confeccionarem “Amores da Curia”. Uma iniciativa que irá contar com a participação do chefe Rui Jesus (demonstração de fabrico) e dos conhecidos chefes Hélio Loureiro, Helmut Ziebell, Marco Gomes e José Avillez.
António Duque, presidente da Confraria, reconhece que se trata de um doce cuja existência e história é desconhecida de grande parte dos bairradinos, assim como avança que o trabalho de pesquisa não tem sido fácil, devido à escassez de documentação, e que a Confraria já se debruça neste tema há dois anos.
“Não há muita informação, o que torna a pesquisa muito mais difícil”, diz.
Quanto à presença de chefes famosos no evento, reconhece ser uma mais valia, até porque dão uma outra importância e credibilidade ao workshop, que “queremos que se desenvolva com bastante êxito”, pois também “foram os primeiros a mostrar disponibilidade e interesse em participar na iniciativa”.

Catarina Cerca