A Construtora da Bairrada, que completou 25 anos, anunciou que, nos últimos cinco anos, teve uma taxa de crescimento de cerca de 200%, passando de uma facturação de  seis milhões de euros em 2005, para 12 milhões em 2009. Jaime Pereira, CEO [chief executive officer] da empresa, prevê que a taxa de crescimento, para o corrente ano, atinja os  17%.
Apesar dos números serem animadores, Jaime Pereira – durante a comemoração dos 25 anos da empresa, no penúltimo sábado, nas Caves Aliança, em Sangalhos – relembrou que “desde 2002 que a fileira da construção atravessa a maior crise de que há registo, agravada pela recessão económica global”. “Portugal precisa, com carácter de urgência, de voltar a crescer, criar riqueza e travar o desemprego. Para o conseguir, é absolutamente indispensável avançar com um conjunto de medidas essenciais para repor o sector e o país numa trajectória de crescimento, que permita ultrapassar a crise e iniciar um caminho de convergência com as economias mais desenvolvidas”, referiu o responsável pela empresa.
Jaime Pereira defende que “o país só poderá crescer se houver mais e melhor investimento e, consequentemente, obras que permitam manter a actividade das empresas e o emprego”. “Porém, não é isso que acontece, tornando-se muito difícil gerir empresas no contexto de indefinição generalizada em que nos encontramos, com programas e decisões a serem sucessivamente adiadas e postas em causa”, afirma.

Estratégia. Ao longo dos 25 anos de existência, a Construtora da Bairrada tem orientado a sua cultura empresarial, sustentada num modelo de gestão em que a promoção e a aplicação da confiança é o valor mais importante na relação com todos os intervenientes – clientes, fornecedores e colaboradores.
Seguindo uma estratégia de crescimento e sustentabilidade, foram criadas outras empresas associadas: CBSI, JOSCO e LAGOPALACE, ligadas ao sector imobiliário e JABRIC, ao fabrico de carpintarias. Em 2007, foi iniciado um processo de internacionalização com a criação de uma empresa em Marrocos, LUSOPOR, onde, em Fevereiro deste ano, começaram a construção de um projecto imobiliário de grande dimensão – construção de 820 apartamentos, num investimento superior a 40 milhões de euros.

Pedro Fontes da Costa
pedro@jb.pt