Um operador de uma máquina de lagartas morreu, ontem, cerca das 16h25, numa zona de barreiros (área de extracção de argilas), na Murta, Oliveira do Bairro, quando a máquina que operava, com o objectivo de aterrar uma lagoa, tombou para a água.

Fernando Pinto Barreiro, de 54 anos, residente em Aguada de Cima, não se terá apercebido que as terras não estariam suficientemente compactadas e a máquina acabaria por se inclinar e virar para o interior de uma lagoa, na Murta, que era procurada no Verão pelos jovens.

Apesar da rápida assistência dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Bairro e da equipa médica do INEM, todos os esforços de reanimação, ao longo de mais de 40 minutos, resultaram infrutíferos.

De acordo com fonte policial, Fernando Pinto Barreiro trabalhava para uma cerâmica de Aguada de Cima e andava com um outro colega a aterrar a lagoa em causa que, de acordo com uma moradora das proximidades, era, muitas vezes, utilizada no Verão pelos jovens das imediações.

O corpo, após ordem do procurador adjunto do Ministério Público de Anadia, foi removido para o Instituto de Medicina Legal de Aveiro. No local esteve a Autoridade para as Condições de Trabalho e ainda a GNR.

A lagoa (de pequena dimensão) que o operador da máquina andava a aterrar localiza-se numa vasta área, onde estão dispersas cerca de outras seis lagoas, algumas das quais de grandes dimensões e que, em tempo de seca, servem para regar espaços verdes da zona desportiva.